Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.433,17
    +505,41 (+1,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Empenho na universidade compensa mais para homens, diz estudo

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Alcançar notas altas na universidade compensa, especialmente para homens que frequentam as instituições mais prestigiosas, segundo estudo britânico.

O Institute for Fiscal Studies do Reino Unido disse que o prêmio salarial médio aos 30 anos para aqueles que obtêm um diploma de graduação de primeira classe era de 7% para homens e 4% para mulheres. Um diploma de segunda classe de nível mais baixo traz ganhos 15% menores para mulheres e 18% menos para homens.

Os resultados sugerem que o acesso a empregos de elite com salários altos depende do que os alunos estudam, quais escolas frequentam e quão bem eles se saem. Também lança luz sobre as barreiras para progredir enfrentadas por pessoas de famílias mais pobres.

“A classificação do diploma pode importar tanto quanto a universidade frequentada para ganhos na vida adulta”, disse Ben Waltmann, economista de pesquisa sênior do IFS. “Ir para uma universidade mais seletiva é bom para ganhos futuros. O fato de poucos estudantes de meios desfavorecidos frequentarem as universidades mais seletivas é uma barreira à mobilidade social.”

Os pesquisadores descobriram que os efeitos sobre os salários foram amplificados para estudantes que frequentam as universidades mais prestigiadas, incluindo Oxford, Cambridge, Imperial College London e London School of Economics. Também importa mais para algumas áreas e menos para outras.

Houve pouco prêmio pago para quem estudava inglês ou educação, independentemente da qualidade do diploma. Os resultados mostraram grandes diferenças de gênero na recompensa por obter um diploma de primeira classe nas universidades mais seletivas.

As mulheres tendem a não receber nada extra, enquanto os homens desfrutam de um prêmio de 14%. Os pesquisadores disseram que isso sugere que menos mulheres que atingem as notas mais altas na universidade vão para carreiras de alto rendimento.

O estudo utilizou pela primeira vez dados da pesquisa Longitudinal Education Outcomes do Departamento de Educação do Reino Unido.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos