Mercado abrirá em 4 h 35 min
  • BOVESPA

    107.937,11
    -1.004,57 (-0,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.890,59
    -708,79 (-1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,84
    +0,53 (+0,64%)
     
  • OURO

    1.842,10
    +0,40 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    35.815,47
    +576,43 (+1,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    812,76
    +2,16 (+0,27%)
     
  • S&P500

    4.410,13
    +12,19 (+0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.364,50
    +99,13 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.081,01
    -575,45 (-2,33%)
     
  • NIKKEI

    27.131,34
    -457,03 (-1,66%)
     
  • NASDAQ

    14.210,25
    -290,75 (-2,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2209
    -0,0078 (-0,13%)
     

Emoção, lágrimas, comemoração e festa no ônibus: como foi o pós-título do Palmeiras no Centenário

·2 min de leitura
Jogadores do Palmeiras foram até a arquibancada para curtir com a torcida (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)



O Palmeiras conquistou o tricampeonato da Copa Libertadores ao bater o Flamengo, por 2 a 1, neste sábado, no Estádio Centenário, em Montevidéu. Mas a festa e a montanha-russa de emoções não parou no gramado, e passou pelos diversos ambientes desse tradicional templo do futebol mundial, inclusive na coletiva de imprensa de Abel Ferreira e Deyverson, que teve de tudo um pouco.

Logo após o apito final, os jogadores foram para perto da torcida para comemorar a conquista, tamanha a emoção de todo o grupo ao levar esse tão importante título diante do adversário que o clube não batia há mais de quatro anos. O atacante Dudu não conteve a emoção e chorou copiosamente em campo ao festejar com os seus velhos companheiros de elenco.

Depois de receberem a taça e as medalhas, os atletas se posicionaram novamente perto de onde a torcida palmeirense ficou. Lá eles exibiram o troféu e foram agraciados pelos torcedores, que cantaram o nome de cada jogador que ficou por ali. Alguns até comandaram a coreografia na arquibancada. Leila Pereira apareceu no local e ouvi um "Olê, olê, olê, olá, Leila, Leila".

Na coletiva pós-jogo, que reuniu Abel Ferreira e Deyverson, o treinador português chamou toda a comissão técnica para prestar uma homenagem aos companheiros. O recado maior do comandante para o diretor de futebol Anderson Barros, que foi chamado de "o melhor do Brasil". Barros, por sua vez, não resistiu e chorou demais durante sua permanência na sala de imprensa.

Em seguida, quem começou a se emocionar foi Deyverson, relembrando de tudo o que passou até conseguir fazer seu segundo gol de título pelo Verdão. Mas não foi só, o centroavante não evitou o chorou e ficou com lágrimas nos olhos depois de ouvir de Abel Ferreira que ele era o filho que todo pai queria.

Claro que não faltou o tradicional banho de isotônico no comandante português, que foi dado pelas crias da base alviverde, que diziam "Calma, Abel", talvez em uma brincadeira interna do elenco. Todos cantaram "tricampeão". Ao final da coletiva, incluindo os jornalistas, aplaudiram os entrevistados.

A reportagem do LANCE! ainda flagrou a saída dos ônibus do Palmeiras do Estádio Centenário rumo ao Aeroporto de Carrasco. Foi possível ver os jogadores fazendo uma roda de samba e festejando mais um pouco o título.

O voo fretado estava previsto para sair às 23h30 de Montevidéu e deve chegar no Brasil por volta das 2h da manhã. De Guarulhos, a delegação vai até a Academia de Futebol, onde haverá um trio elétrico para interação com a torcida que estiver presente. A madrugada e manhã dos palmeirenses será longa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos