Mercado abrirá em 3 h 54 min
  • BOVESPA

    129.441,03
    -634,97 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,16 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,65
    +0,74 (+1,04%)
     
  • OURO

    1.858,90
    -20,70 (-1,10%)
     
  • BTC-USD

    39.634,36
    +4.055,48 (+11,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    950,56
    +8,74 (+0,93%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,40 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.160,55
    +26,49 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,23 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    29.161,80
    +213,07 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    14.027,25
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1908
    -0,0018 (-0,03%)
     

Emergentes desaceleram emissões de dívida soberana no exterior

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- As emissões de dívida soberana de países em desenvolvimento nos mercados internacionais caíram para o menor nível em seis anos no mês passado, pois a recuperação econômica e capital de estímulo de instituições multilaterais reduziram as necessidades de financiamento.

Economias emergentes captaram US$ 6 bilhões em dívidas denominadas em euros e em dólares em maio, o menor valor para esse mês desde 2015 e quase 65% menos do que em maio do ano passado, segundo dados compilados pela Bloomberg.

Os números contrastam com condições de financiamento favoráveis, com juros extremamente baixos nas nações desenvolvidas em meio ao contínuo apoio dos bancos centrais para recuperar as economias devido à crise causada pela pandemia. O spread entre os títulos em dólares de mercados emergentes e Treasuries encolheu para os níveis de fevereiro de 2020. A diferença agora é de 327 pontos-base, inferior à média de 10 anos, de 347.

Alguns governos de mercados emergentes acessaram o mercado no início do ano, sendo que janeiro foi um mês particularmente forte para as emissões de eurobônus, segundo Trieu Pham, estrategista de mercados emergentes do ING Bank em Londres. Outros se beneficiaram do financiamento de recuperação da UE e de medidas de apoio semelhantes, como empréstimos do Fundo Monetário Internacional a países pobres, enquanto a valorização dos preços das commodities aumentou a receita tributária.

“Tem sido incrivelmente calmo”, disse Pham. “Em comparação com o ano passado, pelo menos, as necessidades de financiamento estão caindo.”

Ainda assim, o ambiente de juros baixos pode atrair emissores de mercados emergentes nos próximos meses, disse Pham.

“Seria surpreendente se a emissão continuasse tão baixa como agora”, afirmou. “As emissões devem aumentar se permanecermos neste ambiente forte.”

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.