Mercado fechado

Embratel desenvolve aplicativo de votação online para projeto do TSE

Rui Maciel
·3 minuto de leitura

A Embratel apresentou no último domingo (15) um aplicativo de votação online durante o primeiro turno das eleições municipais de Curitiba (PR). A solução faz parte do "Projeto Eleições do Futuro", idealizado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O sistema de votação online da Embratel possibilitou aos eleitores participarem de uma eleição simulada e votarem em candidatos hipotéticos a partir de uma sessão eleitoral instalada pelo TSE para os testes. A tecnologia foi capaz de identificar o votante, que recebeu um número de título de eleitor fictício, contabilizou seu voto e garantiu total sigilo da escolha, com segurança da informação baseada em criptografia.

Na ocasião da apresentação do app, a Embratel afirmou que os resultados são totalmente auditáveis, garantindo a transparência dos processos. A ação não interferiu no pleito atual, pois o projeto utilizou informações hipotéticas e busca ajudar na criação de modelos alternativos de votação para futuras eleições.

“A Embratel acredita na importância de levar cada vez mais inovações e segurança às eleições. O Brasil possui um sistema muito seguro e reconhecido mundialmente", afirma Maria Teresa Lima, Diretora Executiva da Embratel para Governo. "A iniciativa do TSE de buscar uma proposta ainda mais moderna comprova a intenção do país de se manter na vanguarda da inovação”.

Os resultados obtidos com os testes, desde a experiência do eleitor com a tecnologia, até as conclusões da votação fictícia e a transmissão dos votos, serão apresentados ao TSE posteriormente. As melhores estratégias para uma eventual modificação ou aprimoramento do processo eleitoral atual serão avaliadas para que as eleições ocorram com sistemas ainda mais disruptivos e mais econômicos a partir de 2022, pois os votos poderiam ser realizados de forma online, mantendo o sigilo e a segurança da informação.

O que é o projeto "Eleições do Futuro”?

Lançado em setembro, o projeto "Eleições do Futuro" realiza estudos e avaliações sobre a implementação de inovações no sistema eletrônico de votação brasileiro. Mais de 30 empresas manifestaram interesse em apresentar uma solução para inovar o sistema eleitoral. Destas, 26 foram selecionadas. As demonstrações aconteceram no último domingo das 10h às 15h, durante o primeiro turno das Eleições Municipais de 2020, mais precisamente nas cidades de Curitiba (PR), Valparaíso de Goiás (GO) e São Paulo (SP).

O processo contou com a participação de eleitores, que votaram em candidatos fictícios. As ações foram monitoradas pela Justiça Eleitoral, junto às empresas inscritas em chamamento público. As propostas deverão preencher três requisitos: segurança da votação, proteção ao sigilo do voto e eficiência. Depois da eleição, o TSE decidirá se adotará ou não alguma inovação no sistema de votação.

Ainda segundo o TSE, as urnas eletrônicas são ferramentas seguras e auditáveis de votação e proporcionam resultado rápido. A intenção do “Eleições do Futuro” é verificar se há tecnologias mais modernas e baratas para o processo de votação, sem afetar a segurança do processo. Com o projeto, o Tribunal espera conhecer o que as empresas têm a oferecer em conhecimento e tecnologia. A ideia será transmitida aos ministros Edson Fachin e Alexandre de Moraes, que serão os responsáveis por organizar e conduzir as Eleições de 2022.

Não está em discussão a possibilidade de o TSE abrir mão do controle do sistema de votação, que está e continuará sob o comando do Tribunal Superior Eleitoral.

A Embratel foi uma das empresas selecionadas para demonstrar sua inovação após edital de chamamento público ser lançado pelo Tribunal Superior Eleitoral para companhias de tecnologia interessadas em apresentar propostas de soluções.

Com informações do TSE

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: