Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.224,64
    +395,33 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,38
    +1,56 (+2,44%)
     
  • OURO

    1.843,40
    +19,40 (+1,06%)
     
  • BTC-USD

    50.073,51
    +915,74 (+1,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.404,11
    +45,55 (+3,35%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.393,25
    +293,00 (+2,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4041
    -0,0084 (-0,13%)
     

Embraer tem prejuízo de US$90 milhões no 1º tri, obtém pedido para 30 jatos

·1 minuto de leitura
.

SÃO PAULO (Reuters) - A fabricante de aviões Embraer reportou nesta quinta-feira prejuízo líquido de 90 milhões de dólares no primeiro trimestre, ante perda líquida de 300 milhões de dólares um ano antes, graças ao aumento nas entregas de aeronaves comerciais à medida que a pandemia diminui.

A Embraer também disse que fechou um pedido firme de venda de 30 jatos E195-E2 para um cliente não divulgado, com entregas a partir de 2022.

Até agora, a Embraer havia conseguido apenas pedidos firmes para duas aeronaves comerciais durante a epidemia, um sinal de como ela corroeu a demanda futura de viagens.

A Embraer informou que começará a entregar os aviões recém encomendados, negócio que foi assinado apenas na semana passada e não incluído nos resultados financeiros do primeiro trimestre, a partir de 2022.

A carteira de pedidos da fabricante de aviões, uma medida do que os investidores de receitas futuras podem esperar, era de 14,2 bilhões de dólares em 31 de março, mas deve subir no segundo trimestre graças aos novos pedidos.

A Embraer também disse que adiou em um ano o início das operações de sua nova geração do jato E175-E2, para 2024, citando a pandemia, embora não tenha divulgado mais detalhes.

O avião E175 da geração anterior é de longe o avião comercial mais vendido da Embraer. Ela ainda não assinou nenhum pedido firme para o modelo mais novo.

(Por Marcelo Rochabrun)