Mercado fechado

Embraer anuncia 'recall' de jatos executivos Phenom 300 face a risco de corrosão

Phenom 300, da Embraer: aeronave consegue chegar a qualquer ponto da América do Sul sem reabastecer. Foto: Embraer/Divulgação

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Presidente da unidade de serviço e suportes diz que foram relatados à Embraer casos de corrosão nas massas de balanceamento dos profundores que podem provocar perda de controle da aeronave.

  • A chamada para revisão dos jatos atinge um terço da frota de 500 aviões, ou seja, ao menos 166 aeronaves.

A Embraer anunciou esta semana aos clientes uma espécie de "recall" dos jatos executivos Phenom 300. 

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, o documento assinado pelo presidente da unidade de serviço e suportes da empresa, Johann Bordais, pondera terem sido relatados à Embraer casos de corrosão nas massas de balanceamento dos profundores (parte traseira da aeronaves) que podem provocar perda de controle da aeronave.

Leia também

A chamada para revisão dos jatos, segundo apurou o jornal, atinge um terço da frota de 500 aviões, ou seja, ao menos 166 aeronaves precisarão passar por essa manutenção preventiva. Segundo a carta com o aviso, um grupo terá de fazer a revisão nos próximos três dias, e os demais, ao longo de 60 dias.

O presidente da Embraer Serviços informou ainda que os relatos apontam para o fato de que a região de operação da aeronave tem uma contribuição relevante para as corrosões das massas. A partir dessas conclusões, a empresa decidiu propor um tempo de cumprimento de revisão das aeronaves de três dias ou cinco horas de voo, o que vier primeiro. Esse prazo vale para o grupo 1, ou seja, a quem tem aeronaves consideradas mais suscetíveis à corrosão.

"As demais aeronaves serão incluídas no grupo 2, o qual terá a mesma data para cumprimento das inspeções, ou seja, 60 dias ou 100 horas de voo, o que ocorrer primeiro", destacou o executivo, na carta.

Bordais reconhece que a revisão do boletim de alerta poderá impor impactos significativos nas operações de alguns clientes no curto prazo. Por outro lado, ponderou a empresa enfrentará restrições mais imediatas em termos de possíveis peças requeridas para o completo cumprimento do serviço.

"Portanto, recomendamos aos nossos clientes que entrem em contato com o centro de serviços de sua preferência para planejar a inspeção o quanto antes."

Ainda conforme o executivo, com base no que for encontrado nas inspeções, serão identificadas que peças precisam ser substituídas e quais podem ser reutilizadas após algum retrabalho.

Há várias ações em andamento, segundo Bordais, e elas estão sendo monitoradas por um grupo de trabalho com dedicação integral ao assunto. "Neste momento é muito importante enfatizar que todas as nossas decisões foram estritamente baseadas na segurança da operação."