Mercado abrirá em 30 mins
  • BOVESPA

    116.464,06
    -916,43 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,95 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,88
    +0,27 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.841,80
    -9,10 (-0,49%)
     
  • BTC-USD

    31.497,83
    -837,93 (-2,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    633,25
    -6,67 (-1,04%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.607,35
    -46,66 (-0,70%)
     
  • HANG SENG

    29.297,53
    -93,73 (-0,32%)
     
  • NIKKEI

    28.635,21
    +89,03 (+0,31%)
     
  • NASDAQ

    13.521,25
    +35,75 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4908
    -0,0200 (-0,31%)
     

Embraer diz que Helvetic Airways atualizou pedido para jatos E2

·1 minuto de leitura
Logotipo da Embraer

SÃO PAULO (Reuters) - A Embraer <EMBR3.SA> informou nesta quarta-feira que a suíça Helvetic Airways assinou contrato com a fabricante de aviões brasileira para converter quatro de seus pedidos firmes remanescentes para a aeronave maior da família E2, o E195-E2.

O pedido original, para 12 aeronaves E190-E2, com direitos de compra para outros 12 e de conversão para o E195-E2, foi anunciado em setembro de 2018. Até agora, a Embraer entregou cinco E190-E2s à Helvetic Airways, e as entregas das sete aeronaves, incluindo os quatro E195-E2, serão concluídas antes do final de 2021, sendo a maioria no primeiro semestre de ano.

O pedido firme restante, para a entrega das sete aeronaves, segundo a Embraer, tem valor de 480 milhões de dólares com base nos atuais preços de lista. Com todos os direitos de compra sendo exercidos, o contrato tem um valor total de 1,25 bilhão de dólares, acrescentou a empresa.

De acordo com a Embraer, a Helvetic Airways configurará o E195-E2 com 134 assentos em classe única, enquanto seus E190-E2 têm 110 assentos.

"Isso permitirá à companhia alterar as ofertas para companhias aéreas e outros clientes e atender à demanda atual de passageiros para cada missão -- muito útil no atual momento, em que a demanda está tendo flutuações significativas", acrescentou a empresa brasileira.

(Por Paula Arend Laier; Edição de Pedro Fonseca)