Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,44 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,75 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.140,78
    -179,38 (-0,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,10 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,96 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,84 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Embate jurídico pode causar atraso na chegada do iPhone 14 ao Brasil

Evento da Apple de lançamento do iPhone 14 acontece amanhã, quarta-feira (07)
Evento da Apple de lançamento do iPhone 14 acontece amanhã, quarta-feira (07)
  • Ausência do carregador causou proibição da venda de iPhones no Brasil;

  • Apple vende seus celulares sem o carregador desde 2020;

  • Evento de lançamento acontece amanhã, mas ainda não se sabe quando produto chega ao Brasil.

O evento de lançamento do iPhone 14 acontecerá amanhã, na quarta-feira (07). Para os brasileiros, parece que a Apple escolheu a data a dedo, realizando seu grande evento anual no feriado nacional. No entanto, um problema jurídico da empresa pode fazer com que o celular nem seja lançado no Brasil.

Uma nova decisão do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) proibiu a empresa americana de vender celulares sem o carregador. Há alguns anos a empresa vem realizando a comercialização da linha iPhone sem o dispositivo de carregamento, o que irritou muita gente.

Se não bastasse a dor de cabeça para os seus clientes, a Apple chamou atenção das autoridades brasileiras, que alegam que vender o celular sem um meio de carregá-lo, que é essencial para o funcionamento correto do aparelho, configura venda casada e produto incompleto.

A proibição da venda está valendo para modelos a partir do iPhone 12, e é acompanhada de uma multa de R$ 12 milhões, o que de fato não é muito para uma empresa do porte da Apple, que é a mais valiosa do mundo. No entanto, se continuar vendendo, o MJSP afirmou que a empresa será considerada reincidente, o que torna as novas punições ainda mais graves.

É importante notar ainda que, apesar do evento de lançamento do produto acontecer amanhã, isto não quer dizer que ele estará disponível ao público a partir de quarta-feira. Geralmente o aparelho é exibido e uma data de lançamento nas lojas é anunciada, e no Brasil a data costuma ser ainda depois que nas lojas americanas, o que dá bastante tempo para a empresa se acertar com o governo brasileiro.

A Apple vem realizando a venda de iPhones sem o carregador desde 2020, com a geração 12. Segundo a empresa, foi uma forma encontrada de baratear o produto e de reduzir seu impacto no meio ambiente. Como muitos usuários do iPhone já são clientes da Apple, eles já possuem um carregador, tornando um novo inútil.

Para a Justiça brasileira, no entanto, o argumento não colou, visto que a empresa não realizou nenhuma outra medida para aumentar a sustentabilidade de seus produtos, como a troca do padrão Lighting, usado apenas pela Apple, pelo USB-C, algo que informantes apontam irá acontecer no novo iPhone 15.