Mercado fechado

Embarques de celulose para China devem recuar 1% no 2º trimestre, aponta UBS

Stella Fontes

De acordo com relatório do UBS, consumo de fibra deverá continuar se desacelerando em julho Os embarques de celulose para a China deverão recuar 1% no segundo trimestre, na comparação anual, frente ao crescimento de 21% na mesma base visto nos três primeiros meses do ano, e o consumo de fibra deverá continuar mostrando desaceleração em julho. A avaliação é do UBS, que desenvolveu um modelo quantitativo para projetar os embarques de fibra para a China em três ou quatro meses à frente.

Em relatório divulgado nesta segunda-feira, os analistas Cadu Schmidt, Andreas Bokkenheuser, Mikael Doepel, Wenzhuo Du, Cleve Rueckert e Khalid McCaskill dizem que a expectativa é a de que a demanda adicional de celulose na China recue dos níveis elevados vistos em abril, uma vez que o movimento de recomposição dos estoques no país asiático vem perdendo força.

Dado Galdieri/Bloomberg

Entre abril e junho, os embarques de fibra para a China deverão alcançar média de 1,99 milhão de toneladas por mês, estável na comparação com o primeiro trimestre, segundo o “China Pulp Shipment Projector”.

Conforme os analistas, o desequilíbrio entre oferta e demanda no mercado global de celulose persiste e é alto o risco de queda dos preços, o que só não deve ocorrer se houver cortes significativos na oferta.

Esse desequilíbrio reflete o adiamento de paradas para manutenção por causa da pandemia de covid-19 e maior disponibilidade de fibra no mercado a partir de produtores integrados de papel e da conversão de linhas de celulose solúvel. Ao mesmo tempo, o choque de demanda provocado pela covid-19 deve manter a volatilidade no curto prazo.