Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.057,22
    -1.202,27 (-0,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.202,80
    -376,30 (-0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,89
    -0,15 (-0,21%)
     
  • OURO

    1.776,80
    +2,00 (+0,11%)
     
  • BTC-USD

    38.051,14
    -331,18 (-0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    947,01
    -22,87 (-2,36%)
     
  • S&P500

    4.221,86
    -1,84 (-0,04%)
     
  • DOW JONES

    33.823,45
    -210,22 (-0,62%)
     
  • FTSE

    7.153,43
    -31,52 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.558,59
    +121,75 (+0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.018,33
    -272,68 (-0,93%)
     
  • NASDAQ

    14.184,50
    +19,00 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9872
    +0,0247 (+0,41%)
     

Embaixada chinesa critica Alemanha por suspender tratado de extradição com Hong Kong

·1 minuto de leitura

XANGAI/BERLIM, (Reuters) - A embaixada da China na Alemanha condenou a suspensão do tratado de extradição de Berlim com Hong Kong, uma medida que a Alemanha alega ser uma resposta ao adiamento da eleição na cidade chinesa.

Em declaração em seu site, datada de sexta-feira, a embaixada da China disse que a suspensão viola o direito internacional e as normas básicas das relações internacionais e "interfere fortemente nos assuntos internos da China".

A embaixada expressou "forte insatisfação e oposição resoluta" às declarações do ministro alemão e disse que a China "se reserva o direito de responder mais adiante", sem oferecer detalhes.

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, disse na sexta-feira que Berlim suspenderá seu acordo de extradição com Hong Kong, depois que a chefe do executivo local Carrie Lam adiou em um ano as eleições legislativas da cidade originalmente previstas para 6 de setembro.

"A decisão do governo de Hong Kong de desqualificar uma dúzia de candidatos da oposição para a eleição e adiar as eleições para a legislatura é mais uma violação dos direitos dos cidadãos de Hong Kong", disse Maas.

"Temos deixado claro repetidas vezes nossa expectativa de que a China cumpra suas responsabilidades legais sob o direito internacional", disse ele, acrescentando que isso inclui garantir os direitos sob a Lei Básica, bem como o direito a eleições livres e justas.

(Por Andrew Galbraith em Xangai e Maria Sheahan em Berlim)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos