Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,65 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,15
    -0,12 (-0,23%)
     
  • OURO

    1.854,30
    -1,90 (-0,10%)
     
  • BTC-USD

    32.830,84
    +41,52 (+0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    669,35
    +59,36 (+9,73%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,02 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.704,63
    +256,78 (+0,87%)
     
  • NIKKEI

    28.722,89
    +91,44 (+0,32%)
     
  • NASDAQ

    13.443,50
    +82,00 (+0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6547
    +0,0027 (+0,04%)
     

Emae aprova dividendo recorde de R$221,6 mi

·1 minuto de leitura
Linha de transmissão

SÃO PAULO (Reuters) - A elétrica paulista Emae informou que seus acionistas aprovaram em assembleia geral extraordinária nesta terça-feira o pagamento de um recorde de cerca de 221,6 milhões de reais em dividendos, mediante reversão parcial de saldo de reserva de lucros.

A distribuição dos proventos aos acionistas será realizada a partir de 29 de janeiro, com base na posição acionária da empresa em 5 de janeiro de 2021, afirmou em comunicado a companhia, controlada pelo governo de São Paulo.

O valor dos dividendos é de longe o maior já pelo pela empresa de energia desde ao menos 2009, segundo informações do site da Emae que remetem até essa data.

O montante equivalente a 5,65 reais por ação ordinária e 6,22 reais por papel preferencial.

Em 2018 e 2019, a soma de dividendos e juros sobre o capital próprio (JCP) da Emae ficou em cerca de 29,5 milhões e 28 milhões de reais, respectivamente, de acordo com os dados do site.

A Emae já havia comunicado em 9 de novembro a aprovação de distribuição de 37,6 milhões de reais em juros sobre o capital próprio referentes a 2020.

As ações da Emae operavam em alta de 9,33% por volta das 17:15, contra avanço de 0,3% do índice Ibovespa.

O governo de São Paulo anunciou neste ano planos de avaliar uma eventual privatização da companhia, que opera ativos hidrelétricos. Para isso, foi lançado um edital na semana passada visando a contratação de consultoria para apoiar a administração estadual no processo.

(Por Luciano Costa)