Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    60.743,51
    -552,12 (-0,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0339 (-0,50%)
     

'Em tese, foragidos. Só que nunca se esquivaram', diz advogado de casal da Bahia preso por crime cometido há 20 anos

Extra
·2 minuto de leitura

A defesa do casal Leandro Troesch e Shirley Figueiredo, presos por roubar, extorquir e sequestrar uma mulher em Salvador, na Bahia, há 20 anos, argumenta que ambos "nunca se esquivaram da Justiça" e recorre da detenção. Ao jornal baiano "Correio", o advogado Abdon Abbade, que representa os empresários, reconhece que eles estavam foragidos, mas diz que o casal "não foi procurado".

— Em tese, sim (foragidos). Só que eles nunca se esquivaram. Desde quando os mandados foram cumpridos, nunca foram procurados pela Justiça. Uma coisa é você se apresentar. Mas eles optaram em trabalhar. ‘Olha doutor, se chegar (mandado), vamos acatar’, foi o que um dos meus clientes disse. E eles não tinham porque se esconder. Eles têm Instagram, fazem eventos no hotel e divulgam. São figuras públicas e estavam lá esse tempo todo — afirmou.

Leandro e Shirley estão juntos há 20 anos, o mesmo tempo que completará o crime cometido por eles e mais três comparsas, que também foram denunciados pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

A Polícia Civil afirma que a confirmação da sentença (transitada em julgado) aconteceu em 2018, mas não foi possível localizar o casal em Salvador até esta semana. Já o Ministério Público do Estado (MP-BA) disse que no último dia 26 de janeiro a Justiça determinou a prisão dos empresários ao negar os recursos ingressados pelos advogados de defesa, solicitando a revogação de prisão preventiva decretada contra eles.

A vítima do casal relembrou o sequestro que sofreu e comentou sobre a inesperada novidade de que os empresários foram enfim localizados pelas autoridades.

— Saber que eles foram presos é bom, agora depois de 20 anos, não. A prisão tem sentido porque eles têm que ser punidos e cumprir a pena deles. Depois de 20 anos é um pouco demais, né? — afirmou a vítima, que preferiu não expor sua identidade.

Em entrevista ao EXTRA, a vítima destacou que não se interessou por pensar no crime "ao longo desse período inteiro". Mesmo antes de receber uma cópia do processo contendo as condenações, ela já tratava todo aquele assunto como algo pertencente ao passado em sua vida.

— Eu recebi uma cópia do processo com as condenações e tudo. Dei uma olhada, não sei quando foi que eu recebi isso, mas pra mim já era passado. Eu não tive o menor interesse em procurar saber se eles estavam presos, se estavam soltos, nada disso. Eu procurei seguir minha vida e ponto final — contou.