Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.793,79
    +235,85 (+0,57%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Em terceira missão, Virgin Orbit leva 7 satélites ao espaço com avião modificado

·2 minuto de leitura

A Virgin Orbit acrescentou um novo item à lista de lançamentos de sucesso, ao lançar a missão “Tubular Bells: Part One”, que levou sete satélites para a órbita com o avião Comic Girl, um Boeing 747 modificado com o foguete LaunchOne sobre sua asa. O resultado da missão sinaliza um passo importante para a empresa começar a realizar lançamentos regulares e de confiabilidade para seus clientes.

Após aproximadamente uma hora de voo, o foguete foi liberado em uma área sobre o Oceano Pacífico, onde foi ativado e seguiu viagem rumo ao espaço. O foguete LaunchOne mostrou o desempenho esperado: após passar pela costa, o primeiro estágio do foguete reativou o motor para realizar uma nova queima, para finalmente liberar os sete satélites em órbitas de 500 km e inclinação de 60 graus.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Passadas duas horas, a Virgin Orbit confirmou, em uma publicação no Twitter, que todas as cargas úteis foram lançadas nas órbitas desejadas. A missão levou ao espaço sete CubeSats de diferentes clientes. Quatro deles eram parte da iniciativa Rapid Agile Launch Initiative, parte do Programa de Testes de Defesa Espacial do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. O outro é um satélite militar lançado pela Força Aérea Real da Holanda (RNLAF), que será usado para experimentos de comunicação e demonstrações de como pequenos satélites podem contribuir para as operações da RNLAF. Por fim, os outros dois eram os primeiros satélites lançados pela polonesa SatRevolution, que irá desenvolver uma constelação de satélites com 14 unidades.

Richard Branson, fundador do grupo Virgin, acompanhou a missão e afirmou que, agora, a empresa espera que lançamentos assim se tornem algo quase rotineiro. “Há muitas pessoas que precisam levar satélites ao espaço, e vamos poder fazer isso”, disse. O lançamento desta semana foi o terceiro feito pela Virgin Orbit e o segundo sucesso consecutivo — a missão inaugural foi um teste de voo feito em maio de 2020, que não conseguiu chegar à órbita, enquanto o segundo lançamento foi um grande sucesso, levando um conjunto de pequenos satélites da NASA ao espaço.

A Virgin Orbit planeja abraçar uma parte considerável do mercado de lançamentos de pequenos satélites, que continua em crescimento e, para isso, conta com seu avião Cosmic Girl e o foguete LauncherOne. Segundo a empresa, essa estratégia de lançamento aéreo proporciona mais flexibilidade e agilidade que os sistemas usados por outras empresas, com foguetes lançados verticalmente. A ideia é que a Virgin Orbit realize pelo menos mais um lançamento ainda neste ano; já em 2022, a expectativa é que as operações sejam aceleradas, para a empresa lançar seis missões.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos