Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.469,36
    -2.438,03 (-4,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Em tempos de volatilidade e incerteza as opções podem salvar a sua carteira

·6 min de leitura

Todos sabem que o mercado de capitais permite aos investidores obterem ganhos consideráveis com a compra e venda de ações, moedas e outras mercadorias.

Porém, como não existe almoço grátis, grandes oportunidades de ganhos vêm acompanhados de riscos também enormes.

Nos últimos meses temos visto o Ibovespa derreter mais de 18%, porém, há ações que caíram mais ainda. A Vale (VALE3), por exemplo, caiu mais de 37% desde o seu pico, em junho.

Tudo isso serve para nos mostrar que o investidor deve sempre estar preparado para o pior, pois as quedas vêm de uma hora para outra (assim como as subidas do mercado).

Em momentos de instabilidade econômica e política, como a que estamos vivendo atualmente, é mais difícil ainda acertar os próximos rumos das cotações.

É neste momento que entra em cena o uso das opções como forma de proteção contra a volatilidade do mercado.

O que são opções?

Opções são contratos negociados no mercado financeiro que dão ao seu detentor o direito de comprar ou de vender um determinado ativo por um valor estabelecido em uma data específica do futuro. 

Um contrato de opção estabelece um preço predefinido (preço de exercício, também chamado de strike) e uma data de vencimento em que a negociação poderá ou não ocorrer, a depender da situação.

Basicamente, há dois tipos de contratos de opções:

  1. Opções de venda (chamadas de put);

  2. Opções de compra (chamadas de call).

Dessa forma, a pessoa que comprou uma opção de compra (call) de uma ação terá o direito de exercer a compra do ativo a um preço determinado em uma data futura (data de vencimento).

Enquanto que, do outro lado, a pessoa que vendeu a call terá a obrigação de comprar o ativo ao preço estabelecido na data acordada.

O contrário ocorre em contratos de puts (opções de venda). Ou seja, o comprador terá o direito de vender a ação pelo preço estipulado, enquanto que o vendedor da opção terá que fazer a compra caso o titular exerça seu direito.

Em termos gerais, todo direito é acompanhado de um dever. Caso eu queira ter o direito de negociar um ativo a um determinado preço específico, outra pessoa terá que assumir um dever com essa negociação.

Para adquirir uma opção é preciso pagar um certo preço (prêmio da opção). Esse valor irá para o agente que aceitar incorrer na obrigação estipulada no contrato.

Vamos entender isso melhor com um exemplo.

Suponhamos que um investidor tenha 100 ações da Vale em sua carteira, ao custo de R$75,00 cada uma. 

Com receio de que algo ruim aconteça, ele poderá comprar algumas puts para garantir ao menos o preço atual.

Neste caso, se ele for no mercado de opções verá pessoas vendendo puts ao preço de, por exemplo, R$ 3,50 cada para puts com strike de R$75,00 e vencimento em dezembro.

Ao fazer isso, o investidor fica protegido de uma possível baixa no mercado, embora tenha que arcar com um custo de R$350,00.

Porém, a vantagem dessa estratégia é que se as ações começarem a subir, o investidor ganhará com a valorização das próprias ações.

Por outro lado, o vendedor da opção ganhará os R$350,00 do investidor que comprou a put e, com isso, terá a obrigação de comprar a opção caso ela caia.

Entretanto, se a ação subir, o vendedor da put irá ficar com os R$350,00 na sua carteira sem ter que fazer nada.

Ou seja, ele ganhou um prêmio por ter corrido o risco.

O que define o preço das opções?

As opções são também chamadas de derivativo, pois o preço que se paga por elas resulta (deriva) do comportamento de um outro ativo, que no caso são as ações.

Basicamente há cinco variáveis que determinam o preço de uma opção:

  • preço da ação;

  • preço de exercício;

  • data de vencimento;

  • volatilidade;

  • taxa de juros.

Vejamos um pouco sobre cada.

Preço da ação

Uma opção atrelada à uma ação de R$100,00 não poderá valer o mesmo que uma opção que protege contra a variação de uma ação de R$50,00.

Isso porque a primeira ação oferece um risco maior. É intuitivo pensar que a opção para proteger este ativo deverá ser mais cara.

Sendo assim, quanto maior for o preço do Ativo-objeto (ou preço da Ação), maior será o preço da Opção.

Preço de exercício

Uma ação com preço de R$100,00 tem várias opções atreladas à ela. Cada uma com data de vencimento e preço de exercício (strike) diferente.

Para a mesma ação, é possível encontrar calls de R$100,00, R$105,00, R$110,00, e por aí afora.

Neste caso, também podemos imaginar que uma opção com strike de R$100,00 deverá ser mais cara do que aquelas com strike maior, pois a primeira protege mais o investidor do que as demais.

Logo, quanto maior é a diferença entre o strike e o preço do ativo alvo, mais barata é uma opção.

Inclusive, há opções ao preço de R$0,01, porém, a probabilidade de exercício é baixa, e consequentemente, a sua utilidade ao investidor, pois ela protegerá muito pouco o ativo subjacente.

Data de vencimento

As Opções, tanto de compra quanto de venda, tornam-se mais valiosas quanto maior for o prazo de vencimento.

Vamos fazer uma analogia com um seguro de automóvel. 

O preço de um seguro será maior quanto maior for o tempo do contrato. Isso porque o risco de um carro ser roubado ou sofrer um sinistro em um ano é maior do que em três meses.

O mesmo vale para as opções.

Volatilidade

A volatilidade é uma das variáveis que refletem o risco de uma ação. Volatilidade é uma medida de dispersão dos retornos de um ativo.

Ela mede a variação de um ativo financeiro ao longo do tempo.

Quanto mais o preço de uma ação varia em um período curto de tempo, maior é o risco de se ganhar ou perder dinheiro com a sua negociação, e, dessa forma, maior é a sua volatilidade. 

Assim, quanto maior a volatilidade maior é o risco de uma ação e, consequentemente, maior o custo da opção para proteger o investidor.

Taxa de juros

Por fim, temos que a taxa de juros de mercado interfere no preço de qualquer ativo da economia.

Isso porque a taxa básica (que no Brasil é a Selic) afeta diretamente o custo de oportunidade dos investimentos.

O mesmo vale para as opções. Se os juros sobem, os vendedores de opções irão requerer preços maiores para correr o risco de garantir o direito dos compradores.

Para que servem as opções?

As opções são ativos financeiros um pouco mais complexos do que os demais, como as ações e títulos de renda fixa.

Porém, são muito importantes para proteger os investimentos e aproveitar as oportunidades no mercado sem correr grandes riscos, e ter que movimentar grandes valores.

As opções servem tanto para a especulação quanto para a proteção (prática chamada de hedge).

Por outro lado, o investidor deve ficar atento, pois, ao mesmo tempo que esse instrumento permite ganhos e proteção, também é possível incorrer em perdas irrecuperáveis, caso seja usado de forma equivocada.

Isso porque, se uma opção chega na data de vencimento sem ser exercida seu valor vira pó. Em outras palavras, não passa a valer nada.

Portanto, evite investir neste tipo de ativo sem que haja uma boa estratégia para isso. 

Outra dica, óbvia porém essencial, é buscar estudar o máximo possível antes de investir no mercado de opções.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos