Mercado fechado

Em reunião, ministro do Turismo vê resorts com cassino como saída econômica para o setor

RENATO ONOFRE
·2 minutos de leitura
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, DF, 09.04.2019 - Marcelo Álvaro Antônio, ministro do Turismo. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF, DF, 09.04.2019 - Marcelo Álvaro Antônio, ministro do Turismo. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro Marcelo Álvaro Antonio (Turismo) sugeriu a implementação de resorts integrados com cassinos como um planto de atração de investimentos para a reconstrução do setor de turismo.

A sugestão de Álvaro Antonio foi feita durante a reunião ministerial de 22 de abril, tornada pública nesta sexta-feira (22), por decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Celso de Mello.

"Eu acredito que o momento propício nesse planejamento da retomada, discutir os resorts integrados. Não é legalização de jogos, não é bingo, não é caça-níquel, não é. São resorts integrados."

A intenção é autorizar a construção de um cassino associado a um resort integrado, que, além de hotéis, abrigaria centro de convenções, shoppings, cinema e teatro.

Álvaro Antonio diz que é preciso negociar com a bancada evangélica e, até, com a ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

"Obviamente, presidente, uma pauta que precisa de ser construída -a Damares está olhando com cara feia pra mim- uma pauta que precisa de ser construída com as bancadas da Câmara, tanto a evangélica, quanto a católica, mostrando ou desmistificando vários mitos que giram em torno disso", afirmou o ministro.

Damares não concordou com posição do colega de Esplanada. "Pacto com o diabo!", disse a ministra.

No ano passado, o ministro do Turismo se reuniu com empresários chineses interessados em investir no setor no país.

O apoio aos resorts integrados tem como principal financiador no Congresso deputados do bloco conhecido como Centrão, que agora apoiam o presidente.

No final de 2019, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) chegou a ser consultado para saber se o governo apoiaria um projeto com esse teor.

O tema, que desperta polêmica, foi objeto de idas e vindas na Câmara. Em 2015, a Casa instalou uma comissão especial para avaliar propostas de legalização de cassinos, bingos e jogo do bicho, entre outras modalidades.