Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.407,85
    -47,64 (-0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Em quatro meses, entrada de estrangeiros é 60% maior que em todo 2021

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A entrada de estrangeiros com visto de turista no Brasil de janeiro a abril deste ano foi de 962 mil pessoas, número 60% maior do que as 596,7 mil entradas registradas em todo o ano de 2021.

O dado consta no Sistema de Tráfego Internacional (STI), da Polícia Federal, e foi divulgada nesta segunda-feira (30) pela Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur). As informações são da Agência Brasil.

A diferença chega a 685% na comparação dos primeiros quatro meses deste ano com o mesmo período de 2021, quando 122,6 mil estrangeiros entraram no país, em meio a restrições ao turismo ainda em vigor no Brasil e no mundo devido à pandemia da covid-19.

Os dados corroboram outros divulgados pela Embratur neste mês, que demonstram uma retomada acelerada do setor turístico brasileiro. A Malha Aérea Internacional, por exemplo, registrou 2.983 voos em abril, alta de 191,21% em comparação com o mesmo mês de 2021.

O acréscimo maior são dos trechos envolvendo a Europa. Em abril deste ano foram 921 voos, ante 219 em abril do ano passado. O número de assentos, nesse caso, saltou de 71.704 para 280.410.

Apesar do reaquecimento, a malha aérea brasileira ainda opera com cerca de 51% de sua capacidade habitual registrada antes da pandemia, em 2019.

Estudo produzido pela consultoria britânica Global Data e divulgado na semana passada pela Embratur indica que as viagens internacionais no Brasil e na América Latina devem voltar aos níveis pré-pandemia até 2024.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos