Mercado abrirá em 7 h 37 min
  • BOVESPA

    111.878,53
    +478,62 (+0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.674,83
    +779,20 (+1,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,22
    -0,06 (-0,13%)
     
  • OURO

    1.838,60
    +8,40 (+0,46%)
     
  • BTC-USD

    19.115,65
    +34,30 (+0,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    374,89
    +9,97 (+2,73%)
     
  • S&P500

    3.669,01
    +6,56 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    29.883,79
    +59,87 (+0,20%)
     
  • FTSE

    6.463,39
    +78,66 (+1,23%)
     
  • HANG SENG

    26.682,16
    +149,58 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.803,46
    +2,48 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    12.480,25
    +26,00 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3614
    +0,0416 (+0,66%)
     

Biden prega calma, Trump canta vitória e faz acusação de "roubo"

Matheus Ribeiro
·2 minuto de leitura
(COMBO) This combination of pictures created on September 29, 2020 shows US President Donald Trump (L) and Democratic Presidential candidate former Vice President Joe Biden squaring off during the first presidential debate at the Case Western Reserve University and Cleveland Clinic in Cleveland, Ohio on September 29, 2020. Democratic Presidential candidate and former US Vice President Joe Biden speaks during the first presidential debate at Case Western Reserve University and Cleveland Clinic in Cleveland, Ohio, on September 29, 2020. (Photos by JIM WATSON and SAUL LOEB / AFP) (Photo by JIM WATSON,SAUL LOEB/AFP via Getty Images)
Trump e Biden durante debate realizado em 29 de setembro de 2020 (JIM WATSON,SAUL LOEB/AFP via Getty Images)

* Atualizado no dia 4 de novembro, às 10h33

Com muitos estados ainda sem números finais de apuração, muito por causa de problemas com os votos enviados com antecedência, ainda é impossível declarar um vencedor da eleição americana para presidente na madrugada desta quarta (4). Mas os dois candidatos já se pronunciaram, de formas e por meios diferentes.

O candidato democrata Joe Biden fez um breve discurso em Delaware, seu estado natal, ressaltando que a apuração ainda deve demorar e que o resultado só deve sair durante o dia de quarta.

Até às 10h30 (horário de Brasília), Biden somava 238 no Colégio Eleitoral dos Estados Unidos contra 213 de Trump, segundo a agência de notícias AFP. São necessários 270 delegados para ganhar a eleição.

Leia também

"Eu acredito que estamos no caminho para ganhar essa eleição", afirmou Biden. "Sabíamos que, por causa do voto por correio, teríamos que ser pacientes. E cada voto conta".

Alguns minutos depois, o candidato republicano Donald Trump usou sua conta no Twitter para, sem prova alguma, dizer que alguém estava tentando roubar a eleição e ignorando os votos em antecedência, afirmando que eles poderiam ter sido depositados após o fechamento das urnas.

"Estamos BEM na frente, mas estão tentando ROUBAR a eleição. Nunca vamos deixá-los fazer isso. Os votos não podem ser depositados depois que as urnas estiverem fechadas", postou o candidato à reeleição.

Não demorou para que o Twitter marcasse a postagem de Trump como “conteúdo não verificado e que pode enganar pessoas sobre uma eleição ou um processo civil”.

Mais tarde, Trump fez um discurso na Casa Branca se declarando vencedor e dizendo que levará o caso para a Suprema Corte para que votos parem de ser contados em vários estados onde a apuração ainda não terminou.

“Isso é uma vergonha para o nosso país", disse o atual presidente dos EUA. "Estávamos nos preparando para vencer esta eleição. Por direito, vencemos esta eleição".

Durante o discurso, o candidato republicano afirmou que venceu em estados onde não é possível afirmar um vencedor. Ele pediu que os votos de Arizona, onde está perdendo continuassem sendo contados, enquanto clamava pelo encerramento da apuração em Geórgia, Michigan e Pensilvânia, estados em que ele lidera, mas que não podem ser considerados como decididos até o fechamento desta matéria.

Do lado democrata, houve reação à fala de Trump sobre acionar a Suprema Corte. Jen O’Malley Dillon, chefe da campanha de Biden, classificou a fala de Trump como “ultrajante" e garantiu que a apuração dos votos não vai parar.