Mercado fechará em 1 h 28 min
  • BOVESPA

    109.585,70
    +1.572,23 (+1,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.905,14
    +81,91 (+0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,05
    +0,09 (+0,10%)
     
  • OURO

    1.843,00
    -0,20 (-0,01%)
     
  • BTC-USD

    43.203,23
    +975,69 (+2,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.026,88
    +31,62 (+3,18%)
     
  • S&P500

    4.590,90
    +58,14 (+1,28%)
     
  • DOW JONES

    35.403,61
    +374,96 (+1,07%)
     
  • FTSE

    7.585,01
    -4,65 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    +305,70 (+1,11%)
     
  • NASDAQ

    15.258,75
    +225,25 (+1,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1192
    -0,0482 (-0,78%)
     

Em pior momento à frente do Flamengo, Landim tenta se reeleger

·3 min de leitura
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 19.11.2019 - O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 19.11.2019 - O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma semana depois de perder o título da Libertadores para o Palmeiras, o Flamengo volta a vivenciar um sábado (4) de decisão. Sócios e conselheiros do clube deverão comparecer na sede da Gávea, no Rio de Janeiro, das 8h até às 21h, para eleger o presidente para o próximo triênio (2022 a 2024).

São quatro candidatos: o atual mandatário Rodolfo Landim (chapa UniFla) tentará a reeleição diante da concorrência do advogado Marco Aurélio Assef (Sempre Flamengo), do administrador Ricardo Hinrichsen (Flamengo sem Fronteiras) e do advogado Walter Monteiro (Flamengo Maior).

O resultado será divulgado horas depois do fechamento das urnas. O clube estima que quase 6.500 pessoas deverão comparecer ao pleito. Landim é o mais cotado para ganhar, mas a fase ruim em campo tornou-se um barril de pólvora.

Ex-diretor da Petrobras, o engenheiro civil e empresário assumiu o Flamengo em janeiro de 2019.

Antes braço direito de Eike Batista, Landim também se aproximou do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

Embora a diretoria flamenguista negue preferências políticas, Bolsonaro editou a MP do Mandante, medida provisória 984, de junho de 2020, que dava ao clube anfitrião o direito exclusivo de transmitir o jogo ou negociar a transmissão, após almoçar com Landim, em Brasília.

O texto não passou pelas casas do Congresso e, após 120 dias de sua publicação no Diário Oficial, caducou. Nesse período, porém, o Flamengo adotou a MP para exibir partidas do Estadual do Rio (torneio que o time não tinha acordo com a Globo) em seus canais na internet.

Landim participou da gestão de seu antecessor, Eduardo Bandeira de Mello, que iniciou a reestruturação financeira do clube (com uma dívida de R$ 741 milhões, em 2013), mas obteve mais fracassos que sucessos (dois títulos estaduais, em 2014 e 2017, e a Copa do Brasil, em 2013) em campo.

Nos dois primeiros anos de Landim, o Flamengo voltou a ganhar a Libertadores, em 2019, e enfileirou duas taças do Campeonato Brasileiro (2019 e 2020). Fora de campo, logo no início de sua gestão, ele teve de lidar com um incêndio no Ninho do Urubu, episódio que terminou com a morte de dez jovens jogadores da base.

O dirigente viu a culpa da tragédia recair sobre Bandeira de Mello, mas sua diretoria tem sido a responsável por negociar indenizações para os familiares dos mortos.

Aliados de sua gestão destacam, apesar da crise do coronavírus, a capacidade do Flamengo em alavancar receitas. Foram R$ 668 milhões, em 2020, em meio à pandemia de Covid-19. Dado publicado no balanço da agremiação.

O orçamento para 2022 prevê faturamento de R$ 1 bilhão e um superavit de R$ 186 milhões.

O caminho estaria mais livre à atual gestão caso o time não desapontasse em campo. Acostumado com as glórias recentes, a torcida não poupou Landim na vitória do Flamengo sobre o Ceará por 2 a 1, na terça-feira (30). Foi o primeiro jogo da equipe no Maracanã após ter sido superada pelo Palmeiras, em Montevidéu (URU), na decisão da Libertadores.

Antes da final, a situação no departamento de futebol já não era confortável. De acordo com o vice-presidente Marcos Braz, em entrevista ao site GE, no último dia 24, o setor deverá passar por uma reestruturação.

Além da competição continental, o time foi eliminado na semifinal da Copa do Brasil pelo Athletico, em pleno Maracanã. O clube também não foi páreo para o Atlético-MG no Campeonato Brasileiro.

Com isso, a temporada terminará marcada não somente pelos insucessos em campo, mas pela demissão dos técnicos Rogério Ceni e Renato Gaúcho.

O Estadual do Rio de Janeiro e a Supercopa do Brasil, diante do Palmeiras, foram os títulos conquistados. Pouco para a torcida do time de elenco mais caro no futebol nacional.

Procurado pela reportagem, Landim não atendeu aos pedidos de entrevista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos