Mercado abrirá em 7 h 30 min

Em nova polêmica, OpenSea é processada em R$ 5 milhões

·2 min de leitura
Após o roubo de 254 NFTs, OpenSea se envolve em mais uma polêmica (Photo Illustration by Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Após o roubo de 254 NFTs, OpenSea se envolve em mais uma polêmica (Photo Illustration by Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Só no último sábado 254 NTFs foram roubados, gerando um prejuízo de R$ 9 milhões;

  • Vulnerabilidade da OpenSea é conhecida desde dezembro do ano passado;

  • Empresa admitiu que cerca de 80% dos NFTs criados na plataforma são plágio, falsificações ou spam.

Após 32 usuários terem 254 NFTs hackeados e revendidos neste último sábado, 19, um novo caso de roubo de tokens não fungíveis veio a tona contra a OpenSea. O usuário Timothy McKimmy está processando a plataforma em US$ 1 milhão ou R$ 5 milhões pelo roubo de seu token da Bored Ape Yacht Club.

A peça de arte digital teria sido roubada através de uma vulnerabilidade que permitia a hackers comprar os tokens por valores antigos, mesmo se não estivessem mais à venda. Isso fez com que os criminosos comprassem o NFT da carteira digital de McKimmy por 0,01 ether, o equivalente a US$ 26 ou R$ 135, e depois o revendeu imediatamente pelo valor de 99 ether, ou US$ 250 mil, ou R$ 1,26 milhão.

De acordo com a acusação, a OpenSea sabia do problema mas não fez nada para impedir que criminosos continuassem utilizando a falha para roubar seus usuários.

“Ao invés de fechar a plataforma para resolver as questões de segurança, o réu (OpenSea) continuou operando. O réu, assim, colocou em risco a segurança dos NFTs de seus usuários e de seus cofres digitais para continuar coletando 2,5% de cada transação”, diz a acusação.

Golpes utilizando essa falha, na verdade, não são novidades na plataforma desde seu descobrimento, no final do ano passado, quando um hacker lucrou 347 ether, ou US$ 770 mil, ou R$ 3,8 milhões.

De acordo com Timothy, seu Bored Ape chegava a ser mais valioso que o adquirido recentemente por Justin Bieber, que gastou 1 milhão de dólares em seu token. Seu Ape, de número #3475, é considerado o 1.392º mais raro entre os 10 mil da coleção. A raridade de cada macaco é diferente pois cada imagem é gerada aleatoriamente, a partir de um conjunto de combinações de acessórios possíveis.

Por conta disso, McKimmy pede a devolução de seu Ape e/ou o pagamento de 1 milhão de dólares.

Apesar de polêmicas, OpenSea é a maior plataforma de NFTs

A OpenSea é hoje a maior plataforma de comercialização de NFTs do mundo. A empresa ganhou bastante notoriedade com a popularização dos criptoativos através das coleções de NFTs como a Bored Ape Yacht Club, CryptoPunks, e dos leilões que acontecem na plataforma.

Em menos de um ano a empresa cresceu seu valor de mercado de US$ 95 milhões, ou R$ 480 milhões, em fevereiro de 2021 para US$ $13,3, ou R$ 67,3 milhões em janeiro de 2022.

No entanto, a plataforma não se viu sem problemas. Por exemplo, em janeiro deste ano a empresa admitiu que cerca de 80% dos NFTs disponíveis criados na plataforma eram frutos de plágio, falsificação ou spam.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos