Mercado fechado

Em meio a balanços, Ibovespa recua com cautela antes de fim de semana prolongado

Paula Arend Laier
·4 minuto de leitura
B3

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa recuava nesta sexta-feira, véspera de fim de semana prolongado e com viés cauteloso no exterior, em meio a uma bateria de balanços no Brasil, entre eles o da Usiminas, que apoiava a alta das ações da companhia.

Às 11:21, o Ibovespa caía 0,78 %, a 118.373,29 pontos. O volume financeiro era de 3,9 bilhões de reais.

Não haverá negociação nos mercados de renda variável da B3 nos dias 15 e 16, com as operações voltando a partir das 13h de quarta-feira.

Nesse cenário, prevalece a cautela dado o risco de decisão com efeito nas contas públicas no Brasil, particularmente sobre o novo auxílio emergencial, bem como de algum evento externo, enquanto o pregão brasileiro estiver fechado.

Em nota a clientes, o BTG Pactual ponderou que o fim de semana prolongado deixa o mercado brasileiro vulnerável e assim pode haver uma realização de lucros por investidores nesta sessão para reduzir um pouco de risco, o que é normal.

"O risco fiscal tem sido o foco principal do mercado... Continuo acreditando que estamos em um processo de acumulação na faixa dos 120.000 pontos (para o Ibovespa, aguardando sinais mais claros de avanços nas reformas", acrescenta a nota.

No exterior, o mini contrato futuro do S&P 500 perdia 0,3%.

DESTAQUES

- USIMINAS PNA avançava 1,7%, após o lucro disparar para 1,9 bilhão de reais no quarto trimestre, marcado por receita recorde e o melhor resultado operacional medido pelo Ebitda ajustado desde 2008, com a empresa estimando manter no primeiro trimestre o volume de vendas de aço. No setor, CSN ON subia 1,88%, tendo no radar a precificação do IPO de sua unidade de mineração prevista para esta sexta-feira. VALE ON cedia 0,38%.

- RUMO ON caía 3,08%, após quase zerar o lucro no quarto trimestre para 3 milhões de reais, declínio de 98,5% ano a ano, afetada por queda nas receitas com transporte ferroviário e operação de contêineres além de maiores despesas operacionais. Embora o volume transportado pelo braço de logística do grupo Cosan (medido pela sigla TKU) tenha crescido 8% no comparativo anual, a tarifa média encolheu 12,7%. [nL1N2KH21T]

- BANCO DO BRASIL ON recuava 1,27%, mesmo após lucro recorrente acima do esperado no quarto trimestre, de 3,695 bilhões de reais, enquanto estimou seu lucro entre 16 bilhões de reais e 19 bilhões de reais para este ano, ante 12,7 bilhões de reais em 2020. O banco de controle estatal reiterou que avançará com cortes de custos em 2021. No setor, BTG PACTUAL UNIT perdia 2,42%, enquanto ITAÚ UNIBANCO PN cedia 0,58% e BRADESCO PN recuava 0,4%.

- MULTIPLAN ON caía 1,64%, após balanço trimestral mostrar que o desempenho operacional líquido (NOI) recuou 23,8%, para 254 milhões de reais, reflexo da redução de receitas operacionais no período e maiores despesas com propriedades, em meio aos efeitos da pandemia de Covid-19. O fluxo de caixa operacional (FFO) somou 196,5 milhões de reais, declínio de 14,9%.

- EMBRAER ON subia 0,70%. A fabricante de aviões encerrou o ano passado com um carteira de pedidos firmes a entregar de 14,4 bilhões de dólares, equivalentes a 281 aeronaves. No último trimestre de 2020, a companhia entregou 71 jatos, sendo 28 comerciais e 43 executivos, o que representa um declínio de 10 aeronaves em relação ao último trimestre de 2019.

- COSAN ON tinha alta de 0,75%, apesar da queda do lucro no quarto trimestre, enquanto a geração de caixa medida pelo Ebitda ajustado somou 1,9 bilhões de reais, alta de 38,6%. O grupo de energia e infraestrutura também enxerga forte recuperação neste ano.

- PETROBRAS PN recuava 1,39%, pressionada pelo viés mais negativo nos mercados, com os preços do petróleo no exterior mostrando variações discretas. PETROBRAS ON mostrava queda de 1,24%.

- OCEANPACT ON subia 1,97%, a 11,37 reais, em sua estreia na B3 após a prestadora de serviços ambientais e de logística marinha precificar sua oferta inicial de ações (IPO) a 11,15 reais por papel, no piso da faixa indicada pelos coordenadores da oferta, que ia até 13,85 reais por papel. A operação movimentou 1,22 bilhão de reais.