Mercado abrirá em 1 h 31 min
  • BOVESPA

    113.583,01
    +300,34 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.598,53
    +492,82 (+0,96%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,22
    +0,77 (+1,02%)
     
  • OURO

    1.732,40
    -19,60 (-1,12%)
     
  • BTC-USD

    42.041,57
    -1.606,97 (-3,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.044,10
    -57,42 (-5,21%)
     
  • S&P500

    4.443,11
    -12,37 (-0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.869,37
    +71,37 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.030,69
    -32,71 (-0,46%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.959,00
    -235,75 (-1,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2878
    -0,0190 (-0,30%)
     

Em meio aos Jogos Olímpicos, Japão homenageia vítimas no 76º aniversário da bomba atômica em Hiroshima

·1 minuto de leitura
O prefeito de Hiroshima, Kazumi Matsui (D),e representantes de famílias participam de homenagem às vítimas no 76º aniversario do primeiro lançamento da bomba atômica no mundo, 6 de agosto de 2021 em Hiroshima

O Japão homenageou nesta sexta-feira (6) as vítimas da bomba atômica em Hiroshima lançada em 6 de agosto de 1945, com a polêmica este ano sobre a recusa do Comitê Olímpico Internacional (COI) em respeitar um minuto de silêncio durante os atuais Jogos de Tóquio-2020.

Sobreviventes, parentes e um punhado de dignitários estrangeiros compareceram à cerimônia matinal em Hiroshima (oeste) para homenagear as vítimas e pedir a paz no mundo.

Dada a persistência da pandemia de covid-19, a cerimônia não foi aberta ao público, mas pôde ser acompanhada pela internet.

Os participantes, usando máscaras e muitos vestidos de preto, observaram um minuto de silêncio às 8h15 locais (20h15 de quinta-feira em Brasília), horário em que a bomba atômica americana foi lançada sobre a cidade há 76 anos.

Sobreviventes e o município de Hiroshima propuseram ao COI convidar os atletas dos Jogos a se juntarem ao minuto de silêncio de Tóquio. Porém, o presidente do COI, Thomas Bach, rejeitou a proposta e respondeu que a cerimônia de encerramento dos Jogos, no próximo domingo, dará a oportunidade de homenagear as vítimas de todos os trágicos acontecimentos da história.

"É decepcionante, embora apreciemos o fato de o presidente Bach ter visitado Hiroshima" antes dos Jogos, declarou Tomohiro Higaki, um alto funcionário da cidade.

Bach esteve em Hiroshima no dia 16 de julho para marcar o início da tradicional "trégua olímpica", que visa garantir a suspensão das hostilidades no mundo durante os jogos.

A bomba atômica foi responsável por 140.000 mortes em Hiroshima. A bomba lançada 9 de agosto de 1945 em Nagasaki deixou 74.000 mortos.

O Japão se rendeu em 15 de agosto de 1945, encerrando a Segunda Guerra Mundial.

bur-kh-etb/ras/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos