Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.734,98
    -2.335,45 (-4,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Em duas semanas, vacinação em massa faz contágio do coronavírus cair 39% nos EUA

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Hiba Mustafa, left, an instructor at Denver Public School's Center For Talent and Development, receives a COVID-19 vaccination from Dr. Courtney Bhat during a mass vaccination of 1,000 employees of Denver Public Schools including teachers, administrators, custodial workers and bus drivers at Denver Health Saturday, Feb. 13, 2021, in Denver. The mass vaccination is the largest to date for employees of the school system, which plans even more of the events to protect its workers against the coronavirus in the weeks ahead. (AP Photo/David Zalubowski)
Instrutora de escola pública recebe vacina durante uma vacinação em massa de em Denver, incluindo professores, administradores, funcionários de custódia e motoristas de ônibus (Foto: AP Photo/David Zalubowski)

Nas últimas duas semanas, o número de novos casos de Covid-19 nos Estados Unidos caiu 39% e segue diminuindo, segundo levantamento publicado pelo jornal New York Times. De acordo com especialistas, um dos fatores determinantes para o resultado é a vacinação em massa defendida pelo presidente Joe Biden.

De acordo com o jornal, o país registra mil mortos por dia, queda de 18% no mesmo intervalo de duas semanas e 67 mil pessoas internadas — representa redução de 28% no período.

Segundo a Universidade Johns Hopkins, a redução do número de infecções diárias é ainda maior em comparação ao pico da doença, registrado no dia 8 de janeiro. No pico chegou a ser de 249,8 mil por dia e agora passou para 90,2 mil — uma queda de 63%.

Leia também

No entanto, assim como ocorreu em cidades brasileiras que suspenderam a vacinação contra a Covid-19 por falta de doses do imunizante, cresce o risco de faltar vacina em alguns estados norte-americanos.

Biden prometeu vacinar 100 milhões de pessoas em seus primeiros 100 dias de mandato e o funcionário disse que o fornecimento semanal aos estados e territórios está aumentando, passando de 8,6 milhões de doses por semana para 10 milhões.

Com base em levantamento próprio, o site Bloomberg Vaccine Tracker informa que no dia 1º de fevereiro, 26,5 milhões de americanos haviam recebido uma ou ambas as doses das vacinas contra a Covid-19. Segundo o jornal The New York Times, cerca de 1,7 milhão de pessoas são imunizadas diariamente, em média, no país.

Ampliação da vacinação

Nos EUA, o acesso a vacinação para além dos grupos mais vulneráveis e profissionais de saúde vem sendo estudado, caso tenham doses.

Na semana passada, a Califórnia anunciou que expandiria a vacinação para pessoas de qualquer idade com problemas de saúde ou deficiências graves. Mas, de acordo com o jornal, o estado já usou 72% das doses e há escassez em várias regiões.

O centro de vacinação do Dodger Stadium, em Los Angeles, foi fechado no fim de semana porque a cidade esgotou seu estoque, segundo o prefeito Eric Garcetti. “Não estamos recebendo (vacinas) em quantidade suficiente”, disse.

O país de 328 milhões de habitantes já garantiu 1,2 bilhão de doses de laboratórios como Pfizer, Moderna, AstraZeneca e Johnson & Johnson, segundo o Duke Global Health Innovation Center.