Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    36.724,63
    -501,83 (-1,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Em dia de jogo pela Liga Europa, Nápoles presta homenagens e chora pela morte de Maradona

LANCE!
·1 minuto de leitura


A mais de 11 mil quilômetros de distância de Bueno Aires, outro local entrou em luto oficial, nesta quarta-feira, após a morte de Maradona: Nápole. No sul da Itália, a cidade foi o local onde o ídolo argentino jogou mais tempo, viveu o auge da carreira e se tornou um verdadeiro deus.

+ Confira a tabela do Campeonato Italiano

Desde quarta-feira, torcedores do Napoli ignoraram o pedido de confinamento geral e foram às ruas prestar homenagens a Maradona. Em frente ao estádio San Paolo, que deve ser rebatizado no futuro com o nome do argentino, milhares de pessoas se reuniram em vigília e choraram pela morte do ídolo.

Nesta quinta-feira, às 17h (horário de Brasília), o palco receberá a partida entre Napoli e Rijeka, da Croácia, válida pela Liga Europa. O clube italiano, que aposentou a camisa 10 no início dos anos 2000 em homenagem a Maradona, não informou até o momento sobre a homenagens que serão feitas.

Pelo Napoli, Maradona disputou sete temporadas e conquistou cinco títulos: o Campeonato Italiano (1986/87 e 1989/90), a Copa da Uefa (1988/89), a Copa Itália (1986/87) e a Supercopa da Itália (1990). No total, disputou 259 partidas com a camisa celeste, marcando 115 gols. Assim, o argentino se tornou o maior ídolo da história do clube italiano.