Mercado abrirá em 2 h 28 min
  • BOVESPA

    121.241,63
    +892,84 (+0,74%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.458,02
    +565,74 (+1,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,41
    +0,05 (+0,10%)
     
  • OURO

    1.842,40
    +12,50 (+0,68%)
     
  • BTC-USD

    37.299,18
    +857,45 (+2,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    735,29
    +0,15 (+0,02%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.731,43
    +10,78 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    29.642,28
    +779,51 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    28.633,46
    +391,25 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    12.917,00
    +114,75 (+0,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4102
    +0,0149 (+0,23%)
     

Em dia de divulgação de PIB recorde, Bolsa sobe e dólar recua a R$ 5,17

O Globo
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO —Em dia de divulgação de PIB, a bolsa paulista abriu em alta nesta quinta-feira, também embalada por notícias sobre vacinas contra o coronavírus. A economia brasileira teve crescimento recorde no terceiro trimestre, de 7,7% embora abaixo do esperado.

O Ibovespa, principal índice do mercado de ações brasileiro, sobe 0,35% aos 112.270 pontos.

No câmbio, o dólar comercial recua 1,20% e é negociado a R$ 5,17. Na máxima, a moeda americana bateu em R$ 5,23.

"No mercado de câmbio local, prevalece o bom humor dos investidores, apoiados no avanço das vacinas contra a Covid-19, combinado com as indicações de novos estímulos para a economia norte-americana", escrebeu em relatório a clientes a corretora de câmbio Correparti.

Também poderá alimentar a apetite dos investidores em relação ao Brasil, a bem sucedida emissão externa do Tesouro, que captou ontem, US$ 2,5 bilhões em bônus de 5, 10 e 30 anos, atraindo demanda três vezes maior que a oferta, às menores taxas já obtidas pelo país, diz a Correparti.

Segundo a Levante investimentos, embora o PIB tenha vindo abaixo do esperado, a recuoeração da indústria e da construção mostram sinais positivos de retomada da economia.

De acordo com relatório da Levante Investimentos a clientes, na Zona do Euro, a atividade empresarial recuou em novembro, depois que governos de vários países retomaram as medidas de isolamento social para tentar conter uma segunda onda de infecções por coronavírus, mostrou nesta quinta-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O PMI Composto da IHS Markit despencou para 45,3 em novembro de 50,0 em outubro - a marca de 50 separa crescimento de contração. O número, enretanto, ficou acima da preliminar de 45,1, esperada pelo mercado.

Já na China, o crescimento do setor de serviços acelerou novamente em novembro. O PMI de serviços do Caixin/Markit subiu a 57,8, segunda leitura mais alta desde abril de 2010, ante 56,8 em outubro. A marca de 50 separa crescimento de contração.

A atividade se acelerou no ritmo mais forte em mais de uma década, indicando recuperação da demanda após o país conter o surto de coronavírus.