Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.662,03
    -703,71 (-1,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Em decisão unânime, Senado confirma Bill Nelson como novo administrador da NASA

Danielle Cassita
·3 minuto de leitura

Nesta quinta-feira (29), o Senado dos Estados Unidos decidiu, de forma unânime, que o ex-senador Bill Nelson é o próximo administrador da NASA. A confirmação veio apenas um dia após o Comitê de Comércio do Senado anunciar seu voto favorável à nomeação de Nelson ao cargo e, agora, ele se torna o 14º administrador da agência espacial norte-americana.

Bill Nelson foi senador da Flórida de 2001 a 2019, período que ficou marcado pelo fim do programa dos ônibus espaciais, seguido do início dos voos espaciais comerciais. Além da carreira política, Nelson também tem experiência enquanto astronauta: em 1986, ele foi especialista de cargas úteis em um voo de seis dias no ônibus espacial Columbia. "Estou honrado pela nomeação do presidente e pelo voto do Senado", declarou. "Vou tentar merecer essa confiança. Para frente e para cima!", disse, após a nomeação.

A confirmação, uma das nomeações que passaram pelo Senado via consentimento unânime ou voto por voz, veio seis semanas após a Casa Branca anunciar que iria nomear Nelson, um ex-senador democrata na Flórida, para ser o próximo líder da agência espacial. Nelson não enfrentou oposição em uma audiência de confirmação pelo Comitê de Comércio. Agora, o Senado ainda precisa agendar as audiências de confirmação para Pam Melroy como administradora adjunta, e Margaret Vo Schaus como diretora financeira.

A tripulação do voo STS 61-C, com Bill Nelson ao centro, na fileira superior (Imagem: Reprodução/NASA)
A tripulação do voo STS 61-C, com Bill Nelson ao centro, na fileira superior (Imagem: Reprodução/NASA)

O presidente Joe Biden já havia nomeado Nelson para a função na agência espacial no mês passado. Então, nesta quarta-feira (28), o comitê votou para avançar a nomeação dele para a função, e o processo foi finalizado com a votação unânime dos membros do Senado. A decisão foi formalizada por meio do consentimento unânime, que é um mecanismo usado para a aprovação rápida de projetos de lei e nomeações sem nenhum senador desaprovar a escolha.

Agora, ele assume o cargo de Steve Jurczyk, que vinha liderando a agência desde a saída de Jim Bridenstine, o administrador anterior, que acabou deixando a NASA após o fim da gestão de Donald Trump. Em um comunicado, Jurczyk cumprimentou Nelson: “estou feliz em dar as boas-vindas a Bill à família NASA”, disse. “Esse foi um ano incrível para a NASA e nossos parceiros comerciais e internacionais, e espero trabalhar com Bill e com a administração Biden-Harris para criar o impulso incrível que construímos até agora”, comentou.

A velocidade do trâmite do processo no Senado para a decisão foi surpreendente: pouco antes de Nelson ser confirmado no cargo, a NASA havia feito uma publicação em que listava algumas conquistas já alcançadas durante os 100 primeiros dias da administração de Joe Biden. Entre elas, estava a nomeação de Nelson.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Além disso, a escolha aconteceu de forma bem diferente em relação ao processo de confirmação de Bridenstine: ele não foi nomeado pela administração Trump até setembro de 2017, sendo que a confirmação dele no cargo aconteceu somente em abril de 2018 — e com alguma resistência, já que a votação foi suspensa quando um senador republicano votou contra, mas mudou sua posição por motivos sem relação com a nomeação.

Aliás, Nelson foi o senador que liderou a oposição a Bridenstine, alegando que o cargo deveria ser assumido por um profissional especializado no espaço; mesmo assim, eles trabalharam juntos nas atividades da NASA. Além disso, Bridenstine apoiou a nomeação de Nelson para ser o próximo líder da agência. A NASA ainda não anunciou quando ele irá assumir o cargo formalmente, mas é possível que as informações sejam publicadas no início da próxima semana.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: