Mercado abrirá em 5 h 59 min
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,75
    -0,40 (-0,59%)
     
  • OURO

    1.812,30
    -2,20 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    39.089,20
    +1.259,38 (+3,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    965,99
    +39,23 (+4,23%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.123,86
    +18,14 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    26.160,16
    -266,39 (-1,01%)
     
  • NIKKEI

    27.728,12
    +144,04 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.078,75
    +5,25 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1463
    +0,0280 (+0,46%)
     

Em cerimônia breve, Alexandre de Moraes assume cargo de ministro do TSE

·1 minuto de leitura

Apesar da participação remota de diversas autoridades, entre elas o presidente Jair Bolsonaro, evento foi encerrado após formalidades básicas, sem discursos Durou pouco mais de dez minutos a posse do ministro Alexandre de Moraes no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta terça-feira. Apesar da participação remota das maiores autoridades do país, entre as quais o presidente Jair Bolsonaro, a cerimônia foi encerrada após cumpridas as formalidades básicas, sem nenhum discurso. Moraes, que entrou em rota de colisão com Bolsonaro por conta do inquérito das fake news, limitou-se a ler os compromissos que assumirá como ministro do TSE. O presidente do tribunal, Luís Roberto Barroso, leu uma lista grande de cumprimentos a autoridades e encerrou o evento. Alguns apoiadores de Bolsonaro fizeram ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF) no fórum de comentários da rede social que transmitiu o evento. A equipe de comunicação do TSE teve que apagar os comentários ofensivos. O TSE poderá entrar com mais protagonismo na crise política atual caso as investigações do inquérito das fake news apontem algum tipo de financiamento irregular da campanha presidencial de 2018. Se isso ocorrer, o tribunal poderá julgar a legalidade da chapa vencedora, composta por Bolsonaro e o vice, Hamilton Mourão. Reprodução/Youtube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos