Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    36.008,07
    +388,77 (+1,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Em casa, Atlético-GO aperta Palestino, mas empata pela Copa Sul-Americana

·3 minuto de leitura


Em partida de alta voltagem disputada na cidade de Goiânia, mais precisamente no estádio Antônio Accioly, Atlético-GO e Palestino abriram a quarta rodada no Grupo F da Copa Sul-Americana. Apesar das inúmeras chances, o compromisso disputado em solo brasileiro acabou sem gols.

>Como fica a tabela do Grupo F da Sul-Americana com o resultado

JOGO EM TRANSIÇÃO

Logo no início da partida, o time do Chile soube se posicionar de maneira bastante avançada onde, atrapalhando a saída de bola adversária, se aproximou de marcar o primeiro tempo em pelo menos duas finalizações com Fernando Miguel aparecendo de maneira importante.

Passados os primeiros 15 minutos, o Dragão passou a ter espaços maiores em todos os setores para trabalhar a posse de bola e, aliado a sua movimentação chegando com mais peças no ataque, as chances claras de abrir a contagem começaram a aparecer. Foram pelo menos quatro oportunidades sendo as mais agudas delas a batida de falta bem executada por Janderson que carimbou a trave além de um bom chute também do camisa 7 que exigiu o trabalho de Toselli.

O JOGO NÃO PARA!

Mesmo sem conseguir o mesmo ímpeto da parte inicial do duelo, o Palestino não abdicou totalmente do ataque e soube se aproveitar de espaços deixados pelas linhas mais avançadas para formular uma de suas melhores chances com Dávila. O jogador invadiu a grande área e bateu rasteiro, em diagonal, vendo a bola passar muito perto da trave esquerda de Fernando Miguel.

DESVANTAGEM BRASILEIRA

Em um intervalo de quatro minutos, o Atlético passou da chance de seguir exercendo o domínio de grande parte do primeiro tempo visando seguir mais perto do gol para lidar com o confronto tendo um homem a menos. Isso porque o meio-campista Willian Maranhão, em duas divididas mais fortes, foi amarelado quase que em sequência e fez o camisa 5 sair mais cedo de campo.

Com isso, o jogo ficou no clássico estilo onde a equipe com um a mais começou a se movimentar tanto em substituições como na mobilização de suas linhas ofensivas mais agressivas e, do outro lado, as saídas em contra-ataques velozes se apresentavam como a melhor alternativa do time de Goiânia.

FINAL IGUALADO

Em dificuldade para se aproveitar da superioridade numérica e vendo em determinados momentos o Dragão ser até mais efetivo nas subidas ao ataque, o Palestino acabou se "enrolando" e, em uma falta que matou a chance de puxar jogada rápida, os visitantes também viram a punição máxima para um de seus atletas, o meio-campista Agustín Farías.

Assim, o duelo ganhou caráter de tensão onde cada posse de bola significava a retração total das linhas adversárias onde nem mesmo a batida forte de Marlon Freitas e uma cabeçada excelente de Janderson foram suficientes para tirar o zero do marcador no Centro-Oeste brasileiro.

FICHA TÉCNICA
​ATLÉTICO-GO x PALESTINO-CHI

Local:
Estádio Antônio Accioly, em Goiânia (GO)
Data e hora: 12/05/2021 - 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Orbe (EQU)
Assistentes: Byron Romero e Christian Lescano (ambos EQU)
Cartões amarelos: João Paulo, Janderson, Willian Maranhão (ACG); Benítez, Cristian Suárez, Farías, Alvarado (PAL)
Cartões vermelhos: Willian Maranhão (ACG)

GOLS:

ATLÉTICO-GO (Técnico: Jorginho)

Fernando Miguel; Dudu (Danilo Gomes, aos 36'/2°T), Nathan Silva, Éder e Igor Cariús; Willian Maranhão, Marlon Freitas e João Paulo; Janderson (Matheus Oliveira, aos 46'/2°T), Zé Roberto (Pablo Dyego, aos 26'/2°T) e André Luis (Arnaldo, aos 26'/2°T).

PALESTINO-CHI (Técnico: José Carlos Sierra)

Toselli; Cristian Suárez, Alvarado, Bruno Romo e Benítez (Soto, aos 31'/2°T); Dávila (Carrasco, aos 16'/2°T), Farías, Ahumada (Sánchez Sotelo, aos 13'/2°T), Villanueva e Cortés; Jiménez.