Mercado fechará em 17 mins
  • BOVESPA

    110.494,75
    +1.651,01 (+1,52%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.874,40
    +316,75 (+0,63%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,51
    +0,22 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.775,70
    +11,90 (+0,67%)
     
  • BTC-USD

    42.232,90
    -1.337,29 (-3,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.049,03
    -14,81 (-1,39%)
     
  • S&P500

    4.372,14
    +14,41 (+0,33%)
     
  • DOW JONES

    34.061,89
    +91,42 (+0,27%)
     
  • FTSE

    6.980,98
    +77,07 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    24.221,54
    +122,40 (+0,51%)
     
  • NIKKEI

    29.839,71
    -660,34 (-2,17%)
     
  • NASDAQ

    15.092,75
    +83,25 (+0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1968
    -0,0479 (-0,77%)
     

Em alta, comércio eletrônico nacional movimenta mais de R$ 1 bi no 1º semestre

·2 minuto de leitura

Já há alguns anos, o e-commerce cresce de forma progressiva no país. Com a pandemia de COVID-19, no entanto, as vendas online ganharam ainda mais adeptos. No primeiro semestre de 2021, pequenas e médias empresas aumentaram em 140% seu faturamento com vendas online em comparação com o mesmo período de 2020.

Esses empreendedores movimentaram mais de R$ 1 bilhão, contra os R$ 428 milhões de 2020. Os resultados são do banco de dados da plataforma de e-commerce Nuvemshop, que reúne mais de 85 mil lojas virtuais — a maioria delas comandada por pequenos e médios empreendedores (PMEs).

O crescimento no volume de produtos vendidos atingiu 121%: saltou de 9,3 milhões de itens no primeiro semestre de 2020 para mais de 20 milhões em 2021. “Além daqueles que já tinham o hábito de adquirir produtos online, mais de 3 milhões de brasileiros compraram pela internet pela primeira vez neste primeiro semestre”, aponta Alejandro Vázquez, CCO e cofundador da Nuvemshop.

Para ele, isso comprova que houve de fato uma mudança nos hábitos de consumo. “Para o próximo semestre, acreditamos que os números continuarão crescendo, principalmente pelo fato de que teremos datas comerciais importantes para o e-commerce, como a Black Friday e o Natal.”

Imagem: Reprodução/Elements/ckstockphoto
Imagem: Reprodução/Elements/ckstockphoto

São Paulo em primeiro

São Paulo é o Estado que mais fatura com as vendas online. No primeiro semestre de 2021, pequenos e médios empreendedores da região movimentaram mais de R$ 347,4 milhões. Além do maior faturamento, o Estado tem, ainda, o maior volume de compra no ambiente virtual. “De acordo com nosso banco de dados, 28% das vendas online saem de São Paulo e são entregues para clientes do mesmo Estado”, detalha.

Minas Gerais vem em segundo lugar, com faturamento de R$ 106 milhões, e Rio de Janeiro fica em terceiro com R$ 87,7 milhões. Em ambos os Estados, as compras pela internet também têm volumes expressivos.

Os segmentos com maior faturamento no período foram Moda (R$ 342,8 milhões), Saúde e Beleza (R$ 85,8 milhões), Acessórios (R$ 72,3 milhões), Casa e Jardim (R$ 42,2 milhões) e Eletrônicos (R$ 27,7 milhões). Outros setores tiveram aumentos significativos nas vendas online: Antiguidades (+782%), Joias (+174%), Brinquedos (+127%) e Artes e Artesanato (+126%).

Movimento deve continuar

Imagem: Reprodução/Pexels
Imagem: Reprodução/Pexels

No período analisado, 73% das vendas online foram feitas por celular. O tíquete médio subiu, em relação a 2020: foram R$ 218 agora, contra R$ 213 do ano anterior.

Para Vázquez, a previsão é que o comércio digital continue em expansão no Brasil: ele diz que, entre os próximos 15 e 20 anos, 80% das vendas devem passar de alguma forma por plataformas digitais. “Nós temos o papel de reduzir as barreiras do empreendedorismo para que as PMEs tenham acesso à tecnologia de ponta e à economia de escala. Até agora, elas estavam disponíveis apenas para os gigantes do varejo”, afirma.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos