Mercado abrirá em 9 h 56 min
  • BOVESPA

    108.782,15
    -194,55 (-0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.081,33
    -587,31 (-1,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,39
    +0,15 (+0,19%)
     
  • OURO

    1.744,30
    +4,00 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    16.254,54
    +114,53 (+0,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,14
    +1,84 (+0,49%)
     
  • S&P500

    3.963,94
    -62,18 (-1,54%)
     
  • DOW JONES

    33.849,46
    -497,57 (-1,45%)
     
  • FTSE

    7.474,02
    -12,65 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    17.629,44
    +331,50 (+1,92%)
     
  • NIKKEI

    28.042,38
    -120,45 (-0,43%)
     
  • NASDAQ

    11.634,50
    +18,25 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5564
    +0,0072 (+0,13%)
     

Elon Musk volta atrás e decide seguir com a compra do Twitter, dizem fontes

Elon Musk volta atrás em sua decisão de suspender a compra do Twitter, dizem fontes próximas (CARINA JOHANSEN/NTB/AFP via Getty Images)
Elon Musk volta atrás em sua decisão de suspender a compra do Twitter, dizem fontes próximas (CARINA JOHANSEN/NTB/AFP via Getty Images)
  • Bilionário deve comprar a rede social pelo valor acordado de US$ 44 bilhões, ou R$ 226 bilhões;

  • Ações do Twitter dispararam 13% com notícia e negociações tiveram de ser interrompidas;

  • Chances de Elon Musk ganhar o caso no tribunal eram "extremamente improváveis".

Após meses de discussão pública e prestes a iniciar um processo judicial, Elon Musk e o Twitter parecem ter se acertado, com o bilionário afirmando que voltou atrás e vai seguir com a compra da rede social pelo valor que estava no contrato de US$ 44 bilhões (R$ 226 bilhões na conversão atual).

A notícia ainda não foi confirmada pelo CEO da Tesla, nem pela plataforma de mídia social, que se recusaram a comentar sobre o assunto, mas foi publicada em diversos portais americanos a partir de informações de fontes próximas ao bilionário.

A história se iniciou em abril, quando Elon Musk se ofereceu para comprar a rede social por US$ 44 bilhões, ou US$ 54,20 por ação. Na época o preço do papel da empresa estava na casa dos US$ 50, mas caiu em meio a crise do setor de tecnologia nos meses seguintes, chegando ao valor mais baixo de US$ 32,65.

Hoje, o papel estava sendo negociado a US$ 42,54, mas rapidamente seu valor voltou a subir, já tendo valorizado cerca de 13% para US$ 47,95 com o boato do retorno da compra pelo bilionário. As negociações agora foram interrompidas por conta da volatilidade.

"As ações devem ficar fechadas até que a Bolsa consiga mais informações para poder abrir para o mercado novamente. Os acionistas tinham visto as ações subirem de 30 a 40 dólares para 50 e depois cair muito, estavam dependentes de um evento e devem manter a posição, mas para quem não está nas ações provavelmente vai ter perdido um upside", afirmou Guilherme Zanin, analista da Avenue.

A decisão de Musk de voltar atrás no seu acordo de compra estava sendo contestada no Tribunal de Chancelaria de Delaware, nos Estados Unidos, pelo Twitter, que buscava seguir em frente com a negociação, ou fazer com que Musk pagasse a multa estipulada pela desistência. O julgamento do caso estava marcado para começar neste dia 17 de outubro.

Segundo analistas judiciais e pessoas próximas a Musk, o bilionário já estaria buscando alternativas ao julgamento após reconhecer que suas chances de ganhar o caso eram "extremamente improváveis".