Mercado abrirá em 9 h 22 min

Elon Musk se torna a segunda pessoa mais rica do mundo

·2 minuto de leitura
Elon Musk em Berlim

Elon Musk, o fundador da fábrica de veículos elétricos Tesla, superou Bill Gates na classificação de pessoas mais ricas do mundo, elaborada pela agência Bloomberg.

Segundo a lista divulgada, a fortuna deste empresário de 49 anos nascido na África do Sul cresceu 7,24 bilhões de dólares na segunda-feira, em um só dia, chegando a um total de 128 bilhões de dólares.

O empresário ultramidiático, também co-fundador da empresa espacial SpaceX, superou há algumas semanas o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, e Bernard Arnault, presidente do grupo de luxo LVMH. 

Jeff Bezos, fundador da gigante de distribuição online Amazon, continua sendo o homem mais rico do mundo, com uma fortuna estimada em 182 bilhões de dólares.

Bill Gates, por anos o mais rico do planeta, contabiliza 127,7 bilhões de dólares. O co-fundador da Microsoft se distanciou do topo dessa lista porque dedica uma parte substancial de sua fortuna à fundação Bill e Melinda Gates.

- Ricos ainda mais ricos -

Segundo a Bloomberg, os mais ricos viram sua fortuna crescer 1,3 trilhão de dólares desde janeiro (23%), quando a pandemia de coronavírus provocou uma estagnação da economia mundial e causou milhões de demissões e uma onda de falências de empresas nos Estados Unidos.

A ascensão explosiva de Musk entre as grandes fortunas está vinculada à disparada do título da Tesla, a empresa de automóveis elétricos, na Wall Street.

No decorrer do ano, a ação cresceu mais de 500% e a empresa tem cerca de 495 bilhões de dólares de capitalização de mercado. Isso permitiu que Musk, com 18% da empresa, ganhasse 100 bilhões de dólares neste mesmo período.

Esse grupo se tornou rentável e ganhou dinheiro nos últimos cinco trimestres.

Sua ação subiu nas últimas semanas pela vitória eleitoral do democrata Joe Biden, que prometeu favorecer o desenvolvimento de veículos elétricos nos Estados Unidos, e também pelo anúncio da entrada do grupo no renomado índice S&P 500 das maiores empresas em Wall Street.

Fazer parte desse índice permitirá à Tesla que suas ações sejam sistematicamente integradas em muitos produtos financeiros que seguem mecanicamente as oscilações do S&P 500, como os ETF, que devem lhe dar ainda mais perspectiva ao título.

A Tesla se beneficia do entusiasmo de muitos investidores pelo que consideram o futuro do automóvel.

Embora produzam mais veículos, os fabricantes tradicionais como General Motors e Ford valem na bolsa 64 bilhões e 35 bilhões de dólares, respectivamente.

jum/lo/cjc/mr/llu/aa