Mercado fechará em 4 h 58 min
  • BOVESPA

    111.728,99
    -2.083,88 (-1,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.520,41
    -209,39 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,83
    +0,33 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.760,60
    -10,60 (-0,60%)
     
  • BTC-USD

    21.373,60
    -2.068,43 (-8,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    507,33
    -34,27 (-6,33%)
     
  • S&P500

    4.233,12
    -50,62 (-1,18%)
     
  • DOW JONES

    33.757,40
    -241,64 (-0,71%)
     
  • FTSE

    7.563,41
    +21,56 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    19.773,03
    +9,12 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    28.930,33
    -11,81 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    13.280,00
    -243,25 (-1,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2290
    +0,0152 (+0,29%)
     

Elon Musk pede adiamento de batalha legal contra Twitter

Elon Musk pede adiamento de batalha legal contra Twitter. Foto: Yasin Ozturk/Anadolu Agency via Getty Images.
Elon Musk pede adiamento de batalha legal contra Twitter. Foto: Yasin Ozturk/Anadolu Agency via Getty Images.
  • Elon Musk entrou com recurso na Justiça dos EUA para adiar processo com o Twitter;

  • Os executivos da plataforma apresentaram queixa contra o magnata para obrigá-lo a finalizar a negociação;

  • A empresa chamou a decisão do magnata de “inválida e injusta”.

Elon Musk, CEO da Tesla, entrou com um recurso na Justiça dos Estados Unidos na última sexta-feira (15) para que o processo com o Twitter ocorra após 13 de fevereiro de 2023. A plataforma de mídia social solicitou um julgamento para setembro deste ano.

Por meio de um documento judicial, divulgado pela mídia norte-americana, os advogados do bilionário acusaram o Conselho de Administração (CA) do Twitter de querer acelerar o processo.

Leia também:

De acordo com uma publicação do jornal The Wall Street Journal, que teve acesso ao recurso impetrado pela defesa de Musk, seus advogados alegaram que o assunto é mais complexo e técnico do que o Twitter diz ser.

Na última terça-feira (12), os executivos da plataforma apresentaram uma queixa contra o magnata para obrigá-lo a finalizar a negociação nos termos acordados com ele em 25 de abril.

Na época, a compra do Twitter foi fixada em US$ 44 bilhões. Na segunda-feira (11), a empresa disse que a decisão tomada pelo magnata era “inválida e injusta”.

Musk divulgou a desistência da aquisição no início deste mês, sob a alegação de que o Twitter teria violado “várias disposições do contrato”, não fornecendo detalhes requiridos sobre contas falsas e spam na plataforma.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos