Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.976,64
    -52,46 (-0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Elon Musk negocia preço do selo de verificação com Stephen King

Musk reduz preço do selo de verificação após reclamações de Stephen King (Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
Musk reduz preço do selo de verificação após reclamações de Stephen King (Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
  • Selo de verificação ficará associado à assinatura do Twitter Blue;

  • Valor foi alvo de críticas por usuários notórios da rede social;

  • Musk abaixou valor do plano de assinatura após reclamações de Stephen King.

O mestre do terror, Stephen King, parece ser mais influente do que se pensava no mundo da tecnologia. Em sua conta do Twitter o autor protestou contra o valor que a empresa, agora comandada por Elon Musk, estava querendo cobrar pelo selo de verificação.

No início da semana Musk implementou mudanças que visavam aumentar a receita da empresa, em uma rápida busca por elevar o valor de mercado do Twitter e recuperar seu dinheiro, dentre elas está associar o selo de verificado à assinatura do plano Blue, que dá recursos premium aos usuários.

No entanto, usuários da rede não ficaram felizes com a novidade, dentre eles o mestre o terror, que tuitou sobre o valor: "US$ 20 por mês para manter meu selo azul? Foda-se, eles deveriam me pagar.

O que o escritor não teria como saber é que o próprio Elon Musk, novo chefe do Twitter, responderia seu comentário. "Precisamos pagar as contas de alguma forma!", disse o bilionário. "O Twitter não pode confiar inteiramente nos anunciantes. Que tal US$ 8?"

Após a interação, Musk tuitou: "O atual sistema de lordes e camponeses do Twitter para quem tem ou não um selo azul é uma merda. Poder para as pessoas! Azul por US$8/mês". A fala foi uma crítica ao sistema adotado anteriormente pela empresa, em que era impossível comprar esse tipo de verificação. Pelo contrário, ela era dada com base na notoriedade da conta e na necessidade de se autenticar uma pessoa, como uma celebridade, político ou jornalista.

"Preço ajustado aos países proporcional à paridade do poder de compra", tuitou Musk, como uma observação.