Mercado fechará em 4 h 51 min
  • BOVESPA

    109.134,12
    +65,57 (+0,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,70
    +2,69 (+3,74%)
     
  • OURO

    1.801,40
    +3,40 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    16.861,46
    +1,38 (+0,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    396,81
    -5,23 (-1,30%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.493,52
    +4,33 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.574,50
    +65,00 (+0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4840
    +0,0176 (+0,32%)
     

Elon Musk ‘não quer pressa’ na produção da Tesla

Elon Musk disse aos funcionários da empresa para não correr para fazer entregas até o final deste trimestre e, em vez disso, se concentrar em minimizar custos. (Joan Cros/Corbis via Getty Images) (Corbis via Getty Images)
  • Em memorando, CEO da Tesla quer minimizar custos e pede para funcionários ‘não terem pressa’

  • Falta de chips causou problemas em entregas da Tesla e Musk quer mitigar problemas

  • Musk quer ter entregas mais eficientes, mas em um ritmo mais estável para os funcionários

Em um memorando recente, o CEO da Tesla, Elon Musk, disse aos funcionários da empresa para não correr para fazer entregas até o final deste trimestre e, em vez disso, se concentrar em minimizar custos, relata a CNBC. No memorando de 26 de novembro, Musk escreveu que não quer que a empresa "gaste pesadamente em taxas de expedição, horas extras e empreiteiros temporários apenas para que os carros cheguem no quarto trimestre."

Leia também

“O que tem acontecido historicamente é que corremos feito loucos no final do trimestre para maximizar as entregas, mas as entregas caem enormemente nas primeiras semanas do próximo trimestre”, disse Musk. “Na verdade, analisado ao longo de um período de seis meses, não teremos entregado nenhum carro extra, mas teremos gastado muito dinheiro e nos queimado para acelerar as entregas nas últimas duas semanas de cada trimestre.”

O memorando foi enviado um pouco mais de um mês depois que a Tesla conseguiu aumentar suas entregas globais para mais de 241.000 em seu último trimestre, apesar dos problemas da cadeia de abastecimento global e da escassez de chips que atingiu as vendas de outras montadoras como a General Motors e a Ford. A CNBC observa que a Tesla não divulgou uma meta de entrega clara para 2021, mas visa vagamente aumentar as entregas em cerca de 50 por cento em uma base anual. Ele entregou 500.000 veículos em 2020 e já relatou a entrega de 627.350 nos primeiros três trimestres de 2021. Nesse contexto, parece que há menos necessidade de a Tesla se apressar para atingir suas metas.

Falta de chips causou problemas em entregas da Tesla

Isso não quer dizer que a Tesla não enfrentou nenhum desafio de entrega este ano. Em agosto, a CNBC informou que alguns clientes viram seus carros atrasados ​​por semanas ou meses devido à falta de peças e desafios de fabricação em sua fábrica de Fremont. Também houve relatos neste mês de carros entregues sem recursos como portas USB, aparentemente como resultado da escassez global de chips.

Electrek observa que esta pode não ter sido a primeira vez que Musk disse aos funcionários para se concentrarem nos custos ao invés das metas de entrega, mas que a prática persistiu dentro da empresa. Isso cria pressões intensas de fim de trimestre na Tesla, aumenta os custos e pode fazer com que os clientes sejam apressados ​​para receber seus carros.

Em seu recente memorando, Musk continua dizendo que a empresa espera experimentar uma grande onda de entregas no final de dezembro, com os embarques da Califórnia e da China chegando à costa leste dos Estados Unidos e da Europa, respectivamente. Mas o CEO quer reduzir o tamanho dessas ondas no futuro, “em favor de um ritmo de entregas mais estável e eficiente”.

“O princípio certo é tomar as medidas mais eficientes, como se não tivéssemos ações negociadas publicamente e a noção de fim do trimestre não existisse”, escreveu ele.