Mercado abrirá em 9 h 8 min
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,29
    +0,03 (+0,04%)
     
  • OURO

    1.813,50
    -8,70 (-0,48%)
     
  • BTC-USD

    38.591,43
    -1.257,07 (-3,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    940,10
    -20,79 (-2,16%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.081,72
    +49,42 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    26.045,91
    -189,89 (-0,72%)
     
  • NIKKEI

    27.592,16
    -188,86 (-0,68%)
     
  • NASDAQ

    14.967,75
    +15,00 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1197
    -0,0244 (-0,40%)
     

Elo perdido? Cientistas encontram fóssil que indica existência de nova espécie humana

·1 minuto de leitura
Elo perdido? Cientistas encontram fóssil que indica existência de nova espécie humana
Elo perdido? Cientistas encontram fóssil que indica existência de nova espécie humana

Um grupo de arqueólogos descobriu fósseis que indicam uma nova espécie humana antiga além das que já conhecemos, como os Neandertais e Homo sapiens.

Os pesquisadores encontraram partes de um crânio e mandíbula que, ao mesmo tempo em que se encaixam na estrutura dos humanos já conhecidos, curiosamente também não fazem parte de nenhum deles.

Os cientistas chamaram a nova espécie de “povo Nesher Ramla”, em homenagem ao local de descoberta, na região do Levante em Israel.

Eles acreditam que a espécie seja ancestral das populações de Neandertal da Europa, o que explicaria o mistério de como essas populações possuíam o DNA de Homo Sapiens antes de chegar a essas regiões. Além disso, o novo tipo de hominídeo também parece ser um parente antigo das populações Homo arcaicas da Ásia.

Isso permitiu dar um novo sentido aos fósseis humanos encontrados anteriormente, adicionar outra peça ao quebra-cabeça da evolução humana e compreender as migrações no mundo antigo. Mesmo que eles tenham vivido há muito tempo, entre 140.000 e 120.000 anos atrás, o estudo sobre o povo Nesher Ramla pode contar uma história fascinante, revelando muito sobre a evolução e o modo de vida dos descendentes, chegando até ao homem moderno.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos