Mercado abrirá em 6 h 54 min

E daí que Eliana vai participar de uma transmissão de futebol?

Marcela De Mingo
·4 minutos de leitura
Eliana é convidada do quadro "Torcedor SBT", mas virou alvo de críticas e comentários machistas online (Foto: Eliana / Instagram)
Eliana é convidada do quadro "Torcedor SBT", mas virou alvo de críticas e comentários machistas online (Foto: Eliana / Instagram)

Que futebol é um assunto polêmico não é novidade nenhuma. Agora, coloque uma mulher no meio… e pronto. É discussão que não acaba mais. O exemplo mais recente disso envolve a apresentadora Eliana, do SBT, que foi convidada para participar do quadro "Torcedor SBT", nesta quarta-feira (30), antes da transmissão do jogo entre o River Plate e o São Paulo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter

Se você não vê a polêmica nisso, a gente explica: logo que a notícia saiu, alguns usuários de redes sociais como o Twitter usaram a ferramenta para comentar o tema - de forma não muito lisonjeira, diga-se de passagem. O primeiro ponto foi comparar Eliana com a comentarista da Globo Ana Thaís Matos. O segundo foi a desinformação.

O machismo já é um assunto tão comentado nos dias de hoje que poderia soar batido, não fosse a sua contínua aparição cotidiana. No caso, comparar duas mulheres é, sim, machismo. Reclamar de uma mulher comentar um jogo de futebol, um esporte em que o masculino tem muito mais destaque do que o feminino (basta ver o alarde que é a Copa do Mundo masculina em comparação à feminina) também. Fazer qualquer uma dessas coisas sem a informação completa não só é machismo como desinformação pura e simples.

Leia também

Fato é que Eliana não será "comentarista" do jogo, como muitos assumiram, mas sim uma convidada, alguém que vai expôr o lado mais emocional da torcida, antes da transmissão propriamente dita. Na última semana, o convidado da vez foi o também apresentador Ratinho - mas não se viu tanto barulho quanto com o anúncio da participação de Eliana.

De qualquer maneira, é fato que esse tipo de reação não é necessária. Até porque mulheres têm toda capacidade de comentar jogos de futebol como qualquer homem. Aqui, no entanto, é uma questão de oportunidade e, principalmente, de crédito - historicamente as mulheres foram excluídas do assunto e assume-se que, quando elas conhecem do tema, ou é para impressionar um homem ou é preciso testar os seus conhecimentos até o fim, para garantir que não é “pose".

Vale lembrar também que o ato de comparar mulheres (que claramente estão exercendo funções diferentes) é apenas mais uma forma de machismo - lembra do caso Biel em "A Fazenda”, falando sobre Jojo Todynho e Mirella? É uma estratégia para colocar uma mulher contra a outra para encontrar a mais capaz de conquistar a atenção masculina - e todo o seu capital intelectual e suas conquistas ao longo da vida somem da jogada (com o perdão do trocadilho). Com tantos homens comentaristas, por que as mulheres precisam competir? Porque essa comparação não é feita com os homens?

Como comentarista, Ana Thaís se prepara para as coberturas que faz, afinal, esse é o seu trabalho. E ela não é a única. Existem outras mulheres que cumprem a função muito bem, como a jornalista Renata Mendonça e a ex-árbitra Nadine Bastos.

Eliana, porém, aqui faz o papel de torcedora que dá os seus pitacos no jogo, assim como já aconteceram outras vezes no próprio SBT e também na Rede Globo. Compará-la a outra mulher, diminuí-la por qualquer motivo ou ofendê-la nas redes sociais por conta disso não resolve um problema que existe apenas na cabeça daquele que dissemina o ódio - e esse problema tem nome: machismo.

Até que mulheres possam comentar futebol como bem entendem, quando quiserem e como quiserem sem que isso seja transformado numa questão maior, até que possam assumir lugares de destaque (e de direito) nesses ambientes de forma natural, textos como esse ainda serão necessários.

Até lá: calma, torcedores. Eliana estará na transmissão como uma de vocês. Ela não tem pretenção alguma de tomar o esporte de vocês, muito menos de ofendê-los - só quer exercer o seu direito como torcedora livremente, como qualquer outra pessoa.