Mercado fechado

Eletronuclear encaminha pedido de extensão de vida útil de Angra 1

Rodrigo Polito

Estatal pretende elevar de 40 anos para 60 anos o período de operação da usina nuclear A Eletronuclear apresentou hoje à Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) pedido de extensão de vida útil da usina nuclear de Angra 1, de 40 para 60 anos.

De acordo com a estatal, Angra 1 entrou em operação em 1985 e, portanto, seus 40 anos de atividade se completam em 2024.

Segundo Leonam Guimarães, presidente da Eletronuclear, em nota, o pedido de extensão ocorre agora porque “havia um compromisso da Eletronuclear de fazer esta solicitação cinco anos antes do vencimento da licença operacional”.

A chefe de gabinete da CNEN, Cássia Helena Pereira Lima, afirmou que “a CNEN se empenhará para que o processo de análise do pedido ocorra dentro do prazo adequado, mas com foco na segurança, radioproteção e no extremo rigor técnico”.

A usina possui 640 megawatts (MW) de capacidade instalada.