Mercado fechará em 58 mins
  • BOVESPA

    113.297,08
    +1.024,07 (+0,91%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.435,97
    -85,46 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,88
    +0,98 (+1,26%)
     
  • OURO

    1.945,30
    +6,10 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    23.155,86
    +14,24 (+0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    525,78
    +6,98 (+1,35%)
     
  • S&P500

    4.048,88
    +31,11 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.872,69
    +155,60 (+0,46%)
     
  • FTSE

    7.771,70
    -13,17 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    21.842,33
    -227,40 (-1,03%)
     
  • NIKKEI

    27.327,11
    -106,29 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.085,00
    +117,00 (+0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5260
    -0,0210 (-0,38%)
     

Eletrobras retira resgate de ações PNA de pauta de assembleia após ofício da CVM

SÃO PAULO (Reuters) - A Eletrobras retirou da pauta da assembleia extraordinária de acionistas que será realizada nesta quinta-feira as deliberações referentes ao resgate de ações preferenciais de classe “A” de emissão da companhia.

A decisão ocorre após a elétrica ter recebido um ofício da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informando que o colegiado havia reconhecido "suposta ineficácia do dispositivo estatutário" em que se pautava esse item para deliberação em assembleia.

Em comunicado ao mercado, a Eletrobras disse que estudará com seus assessores as alternativas relacionadas ao tema e, oportunamente, informará os acionistas sobre eventual retomada dessas deliberações em futura assembleia.

A proposta de resgate de ações PNA foi anunciada em novembro do ano passado, quando a companhia resolveu suspender seu projeto de migração ao Novo Mercado da B3 em razão do cenário macroeconômico e das condições do mercado.

Pelo plano anterior, as ações PNA seriam resgatadas ao valor de 48,4502 reais/ação e seriam posteriormente canceladas. A proposta, segundo a Eletrobras, teve como fundamento a autorização prevista em seu estatuto e visava racionalização e simplificação da sua base acionária, bem como a redução de custos de observância.

Na assembleia marcada para esta quinta-feira, os acionistas da companhia devem deliberar sobre a incorporação, pela Eletrobras, de ações das suas subsidiárias Chesf, CGT Eletrosul, Furnas e Eletronorte.

(Por Letícia Fucuchima)