Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,50 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,66 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,98
    -1,15 (-2,16%)
     
  • OURO

    1.855,50
    -10,40 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    32.722,59
    +928,26 (+2,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    651,44
    +41,45 (+6,79%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,03 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.447,85
    -479,91 (-1,60%)
     
  • NIKKEI

    28.631,45
    -125,41 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.355,25
    -40,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6542
    +0,1458 (+2,24%)
     

Elenco de filme da Netflix relata supostas ameaças feitas pelo Estado Islâmico

O Globo
·1 minuto de leitura

O elenco do filme “Mosul”, da Netflix, relata que vem recebendo ameaças de morte pelas redes sociais de supostos simpatizantes e até mesmo integrantes do Estado Islâmico. O longa, que estreou na plataforma em novembro do ano passado, conta a história de uma equipe da SWAT iraquiana que sai às ruas da cidade de Mosul para caçar membros do grupo terrorista.

Produzido pelos irmãos Joe e Antony Russo (“Vingadores: Ultimato”), “Mosul” usa como base um artigo do escritor americano Luke Mogelson, publicado na revista “New Yorker”, em 2017. O filme se tornou um sucesso da Netflix, especialmente na Europa e no Oriente Médio. Sua repercussão, no entanto, parece estar gerando efeitos colaterais muito danosos.

“Quando postei nas minhas redes sobre o lançamento do filme, apareceram muitos vídeos com palavrões, muitos deles dizendo que eram do Estado Islâmico com mensagens como ‘nós sabemos onde você mora e vamos te achar’”, relata ao site “Deadline” o ator Suhail Dabbach, que interpreta o coronel Jasem, líder da SWAT.

Adam Bessa, seu colega de elenco, também recebeu ameaças via WhatsApp e teve seu perfil no Instagram hackeado e deletado. As ações contra o ator teriam sido realizadas na Turquia.

A Netflix, assim como as produtoras AGBO e 101 Studios já acionaram seus departamentos jurídicos para garantir a investigação sobre as ameaças e garantir a segurança da equipe de “Mosul”.