Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,26 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,77 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -0,21 (-0,23%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +3,40 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    24.342,05
    -154,03 (-0,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,35 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,22 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,68 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +2,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2017
    -0,1220 (-2,29%)
     

Elementos essenciais para a vida são encontrados no centro da Via Láctea

Uma equipe internacional de cientistas encontrou uma pista importante na busca pela origem da vida na Terra. Ao observar uma nuvem molecular interestelar, perto do centro da Via Láctea, eles descobriram a presença de elementos precursores do RNA, o que pode reforçar a hipótese conhecida como mundo RNA.

Proposto em 1986, o mundo RNA é uma das hipóteses mais “populares” no meio científico. A ideia é que antes de nosso mundo ser dominado por vida baseada (principalmente) no DNA e proteínas, os seres vivos eram baseados em RNA. Essas formas de vida seriam as primeiras a surgir em nosso planeta.

Assim, o ácido ribonucleico teria sido a primeira forma de vida na Terra, desenvolvendo em seguida uma membrana celular em seu redor e se tornando a primeira célula procariota. O grande desafio dessa hipótese é descobrir de onde vieram os blocos de construção do RNA.

Com o novo estudo, pode ser que essa pergunta tenha sido respondida — ao menos em parte. A equipe do estudo mostra que uma ampla gama de nitrilas (cianetos) está presente no espaço interestelar, no interior da nuvem molecular G+0,693-0,027. Nitrilas são uma classe de moléculas orgânicas precursoras dos ribonucleotídeos.

Isso significa que a química do meio interestelar da Via Láctea pode formar alguns dos principais precursores moleculares do mundo RNA. As nuvens moleculares, regiões densas e frias do meio interestelar, já eram candidatas interessantes para abrigar essas moléculas complexas.

A nuvem localizada próximo ao centro da Via Láctea contém muitos elementos precursores do RNA (Imagem: Reprodução/Víctor M. Rivilla et al.)
A nuvem localizada próximo ao centro da Via Láctea contém muitos elementos precursores do RNA (Imagem: Reprodução/Víctor M. Rivilla et al.)

Esses componentes não estão presentes apenas em G+0,693-0,027. Na verdade, é semelhante ao de outras regiões de formação de estrelas em nossa galáxia, e também ao de objetos do Sistema Solar, como cometas. Mas a presença em nuvens moleculares é mais uma peça no quebra cabeça.

Também foram encontradas possíveis evidências de cianoformaldeído (HCOCN) e glicolonitrila (HOCH2CN) em G+0,693-0,027. Outros estudos recentes também relataram outros precursores de RNA nessa mesma nuvem, como glicolaldeído (HCOCH2OH), uréia (NH2CONH2), hidroxilamina (NH2OH) e 1,2-etenodiol (C2H4O2).

As nitrilas, segundo o mundo RNA, teriam pego “carona” em cometas e meteoritos durante o período conhecido como Intenso bombardeio tardio, no qual uma série de objetos pequenos bombardeou o Sistema Solar, entre 4,1 e 3,8 bilhões de anos atrás.

Entretanto, “ainda há moléculas-chave ausentes que são difíceis de detectar”, disse Dr. Izaskun Jiménez-Serra, um dos autores do estudo. “Sabemos que a origem da vida na Terra provavelmente também exigiu outras moléculas, como os lipídios [...]. Portanto, também devemos nos concentrar em entender como os lipídios podem ser formados a partir de precursores mais simples disponíveis no meio interestelar”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos