Mercado abrirá em 9 h 55 min
  • BOVESPA

    126.003,86
    +951,08 (+0,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.897,79
    +629,34 (+1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,28
    +0,37 (+0,51%)
     
  • OURO

    1.798,70
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    36.481,70
    -1.570,80 (-4,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    863,10
    -52,39 (-5,72%)
     
  • S&P500

    4.422,30
    +10,51 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    35.144,31
    +82,76 (+0,24%)
     
  • FTSE

    7.025,43
    -2,15 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    26.101,07
    -91,25 (-0,35%)
     
  • NIKKEI

    27.932,08
    +98,79 (+0,35%)
     
  • NASDAQ

    15.103,25
    -14,50 (-0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1105
    +0,0002 (+0,00%)
     

Eleições nos EUA: Trump volta a contestar votos após virada parcial de Biden em dois estados-chave

·3 minuto de leitura
El presidente Donald Trump habla desde la Casa Blanca la madrugada del miércoles 4 de noviembre de 2020. (AP Foto/Evan Vucci)
A declaração do presidente acontece após pesquisas indicarem uma virada favorável a Biden em dois estados-chaves. (AP Foto/Evan Vucci)

Presidente dos Estados Unidos e candidato republicano à reeleição, Donald Trump voltou a contestar a contagem dos votos e a legitimidade das eleições dos EUA, no início da tarde desta quarta-feira (4), após as pesquisas acenarem uma virada parcial a favor do democrata Joe Biden em dois estados-chaves.

“Ontem à noite eu estava liderando, muitas vezes de forma sólida, em muitos estados-chave, em quase todas as instâncias democratas governadas e controladas. Então, um por um, eles começaram a desaparecer magicamente enquanto as cédulas surpresa começaram a ser contadas. MUITO ESTRANHO, e os “pesquisadores” entenderam completamente e historicamente errado!”, escreveu Trump, no Twitter, às 12h04, horário de Brasília.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Em seguida, o presidente reforçou a dúvida a respeito da lisura dos votos enviados pelos correios. “Por que toda vez que eles contam as cédulas eleitorais são tão devastadores em sua porcentagem e poder de destruição?”, completou Trump.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A declaração do presidente acontece após pesquisas indicarem uma virada favorável a Biden em dois estados-chaves - os chamados swing states, que não têm partidarização muito clara para qualquer um dos candidatos.

No fim da noite de terça, Michigan e Wisconsin, com 16 e 10 delegados, respectivamente, sinalizavam uma maioria republicana. No entanto, a contagem dos votos enviados antecipadamente pelo correio, que começou na manhã desta quarta, fez com que o cenário ficasse parcialmente favorável a Biden.

Acompanhe aqui a apuração em tempo real das eleições dos EUA

Leia também

Até às 12h20 (horário de Brasília), Biden somava 238 no Colégio Eleitoral dos Estados Unidos contra 213 de Trump, segundo a agência de notícias AFP. São necessários 270 delegados para ganhar a eleição.

Este foi o segundo posicionamento de Trump questionando a contabilização dos votos enviados antecipadamente pelos correios. Mais cedo, durante a madrugada de quarta, Trump usou sua conta no Twitter para, sem prova alguma, dizer que alguém estava tentando roubar a eleição e acusando os votos feitos por correio de terem sido depositados após o fechamento das urnas.

"Estamos BEM na frente, mas estão tentando ROUBAR a eleição. Nunca vamos deixá-los fazer isso. Os votos não podem ser depositados depois que as urnas estiverem fechadas", postou o candidato à reeleição.

Do lado democrata, houve reação à fala de Trump sobre acionar a Suprema Corte. Jen O’Malley Dillon, chefe da campanha de Biden, classificou a fala de Trump como “ultrajante" e garantiu que a apuração dos votos não vai parar.

ENTENDA OS VOTOS ANTECIPADOS E ENVIADOS PELOS CORREIOS

Diferentemente de eleições anteriores — quando, apesar de não haver resultados totais, o nome do novo presidente já podia ser projetado com precisão na mesma noite da votação —, desta vez o volume recorde de cédulas enviadas pelo correio deve provocar demora maior na contagem dos votos, impossibilitando uma projeção exata.

Em meio à pandemia de coronavírus e ao temor de comparecer a locais de votação lotados, calcula-se que cerca de 100 milhões de americanos tenham votado antecipadamente, um número sem precedentes na história do país.

As diferentes regras em cada Estado para processar e contar esses votos fazem com que ainda seja muito cedo para indicar a vitória do republicano Donald Trump ou do democrata Joe Biden.

Especialistas ressaltam que é normal que votos pelo correio demorem mais para ser contados, já que exigem um processo diferente e mais trabalhoso, e salientam que isso não indica que há algo de errado com a votação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos