Mercado fechado
  • BOVESPA

    93.952,40
    -2.629,76 (-2,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.987,86
    +186,49 (+0,51%)
     
  • PETROLEO CRU

    35,72
    -0,45 (-1,24%)
     
  • OURO

    1.878,80
    +10,80 (+0,58%)
     
  • BTC-USD

    13.589,40
    +290,56 (+2,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    265,42
    +1,78 (+0,68%)
     
  • S&P500

    3.269,96
    -40,15 (-1,21%)
     
  • DOW JONES

    26.501,60
    -157,51 (-0,59%)
     
  • FTSE

    5.577,27
    -4,48 (-0,08%)
     
  • HANG SENG

    24.107,42
    -479,18 (-1,95%)
     
  • NIKKEI

    22.977,13
    -354,81 (-1,52%)
     
  • NASDAQ

    11.089,00
    -253,75 (-2,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0584 (-0,87%)
     

Eleições 2020: como justificar o voto?

Redação Notícias
·2 minutos de leitura
Tânia Rego/Agência Brasil
Tânia Rego/Agência Brasil

Caso o Eleitor não possa comparecer no dia 15 de novembro nas Eleições 2020 para votar e eleger vereador, prefeito e vice-prefeito, ele deverá justificar sua ausência.

A justificativa é feita através de um formulário Requerimento de Justiça Eleitoral (RJE). Há algumas formas de se obter esse formulário.

Mais sobre Eleições 2020:

Onde conseguir o formulário para justificar o voto?

  • Site do Tribunal Superior Eleitoral

  • Cartórios Eleitorais

  • Posto de atendimento ao leitor

  • Páginas dos tribunais eleitorais (TREs)

Caso exista ausência no primeiro e segundo turno, o eleitor deverá justificar cada um, separadamente, cumprindo os prazos e requisitos individualmente. Ou seja, a justificativa só é válida para o turno que o eleitor não compareceu por estar fora de seu domicílio eleitoral.

Não há um limite de justificativas, porém o eleitor deve prestar atenção na revisão do eleitorado no município onde for cadastrado. O não atendimento ao convite da Justiça Eleitoral, pode ter o título de eleitor cancelado.

Consequências de não justificar o voto

Enquanto o cidadão não regularizar sua situação com a Justiça Eleitoral, ele não poderá (§1º do art. 7º do Código Eleitoral – Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965):

  • obter passaporte ou carteira de identidade;

  • receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição;

  • participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal, dos municípios ou das respectivas autarquias;

  • obter empréstimos nas autarquias, nas sociedades de economia mista, nas caixas econômicas federais e estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo, ou de cuja administração este participe, e com essas entidades celebrar contratos;

  • inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, e neles ser investido ou empossado;

  • renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;

  • praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda;

  • obter certidão de quitação eleitoral, conforme disciplina a Res.-TSE nº 21.823/2004;

  • obter qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado.