Mercado abrirá em 2 h 25 min
  • BOVESPA

    121.241,63
    +892,84 (+0,74%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.458,02
    +565,74 (+1,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,45
    +0,09 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.842,90
    +13,00 (+0,71%)
     
  • BTC-USD

    37.226,08
    +784,34 (+2,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    733,94
    -1,20 (-0,16%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,24 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.734,88
    +14,23 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    29.642,28
    +779,51 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    28.633,46
    +391,25 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    12.914,00
    +111,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4102
    +0,0149 (+0,23%)
     

Eleições 2020: 8 deputados foram eleitos prefeitos

Ana Paula Ramos
·3 minuto de leitura
João Campos, do PSB, está no segundo turno e concorre contra Marília Arraes, do PT (Foto: Rodolfo Loepert/Reprodução/Instagram)
João Campos, do PSB, venceu Marília Arraes, do PT na disputa pela Prefeitura de Recife no segundo turno (Foto: Rodolfo Loepert/Reprodução/Instagram)

No domingo (29), 57 prefeitos foram eleitos na disputa pelo segundo turno no Brasil.

Além do impacto no jogo político brasileiro, o resultado das eleições municipais de 2020 vai representar um impacto na correlação de forças dentro do Congresso.

Leia também

Como as eleições deste ano fortaleceram nomes e partidos tradicionais da “velha política”, alguns parlamentares foram bem-sucedidos na disputa e venceram em cidades importantes do país, como a capital pernambucana.

Aos 27 anos, o deputado João Campos (PSB) foi eleito para comandar Recife pelos próximos quatro anos. Ele é filho do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos e bisneto de Miguel Arraes, ex-prefeito de Recife e ex-governador do estado.

Na Câmara, ele tem uma atuação forte na área da educação, ao lado da namorada, a deputada Tabata do Amaral (PDT-SP). João Campos era presidente da Comissão Externa de Acompanhamento dos Trabalhos do Ministério da Educação e já foi sucedido no cargo pelo deputado Felipe Rigoni (PSB-ES).

Entre os congressistas, ainda foram eleitos nas capitais os deputados Edmilson Rodrigues (PSOL), em Belém; Eduardo Braide (Podemos), em São Luís; e JHC (PSB), em Maceió.

Outras cidades que elegeram deputados para prefeito foram Margarida Salomão (PT), em Juiz de Fora (MG); Sergio Vidigal (PDT), em Serra (ES); Alexandre Serfiotis (PSD), em Porto Real (RJ), e Roberto Pessoa (PSDB), em Maracanaú (CE).

Outro deputado candidato, Wladimir Garotinho (PSD), conquistou 52,4% dos votos para prefeito no segundo turno em Campos dos Goytacazes (RJ). No entanto, ele ainda não é considerado eleito porque sua candidatura foi impugnada e está em julgamento na Justiça Eleitoral.

Ele é filho dos ex-governadores do Rio Anthony Garotinho e Rosinha Garotinho. A impugnação de sua candidatura ocorreu por causa do seu vice, Frederico Paes, barrado na Justiça Eleitoral por descumprir o prazo de desincompatibilização. Ele era diretor do Hospital de Plantadores de Cana.

“VELHA POLÍTICA”

O MDB continua como o partido com o maior número de prefeituras do Brasil. Em 2020, conseguiu eleger 784 prefeitos. No entanto, em comparação com a última eleição municipal, o partido encolheu cerca de 26%.

O PSDB, partido do governador João Doria (SP), ficou em quarto lugar no número de prefeituras, mas assegurou o posto de legenda que vai governar o maior número de brasileiros. Por outro lado, foi a sigla que mais perdeu prefeituras: uma redução de 34%.

De acordo com os dados do Tribunal Superior Eleitoral, o PSDB elegeu 520 prefeitos, entre eles o de São Paulo, com a reeleição do atual prefeito Bruno Covas.

Embora ocupe a quinta posição no número de prefeituras, o DEM - partido dos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (AP) e Rodrigo Maia (RJ) - foi um dos com maior crescimento neste pleito.

O número de prefeituras pulou de 266 para 464 - o que equivale a um crescimento de 75%.

Maior partido da esquerda, o PT conseguiu eleger 183 prefeitos - 71 a menos que em 2016. Pela primeira vez desde a redemocratização, o Partido dos Trabalhadores não venceu em nenhuma capital.