Mercado fechado

Eleição da Fiesp começa com troca de farpas

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A corrida para a eleição à presidência da Fiesp segue agitada. A menos de uma semana do prazo para o registro das candidaturas, já teve até promessa de judicialização. A oposição à chapa apoiada pelo presidente da entidade, Paulo Skaf, acusa a atual gestão de dificultar o acesso a informações, enquanto eleitores adversários rebatem que se trata apenas de choradeira de uma chapa sem chances de vitória, que estaria com dificuldade de atrair eleitores. Por ora, a disputa tem, de um lado, o empresário Josué Gomes da Silva, da Coteminas, apoiado por Skaf, contra José Ricardo Roriz, presidente da Abiplast (associação da indústria de plásticos). O grupo de Roriz solicitou à comissão eleitoral uma lista com os contatos dos dirigentes de todos os sindicatos que podem votar, mas diz que só recebeu a imagem de uma tela com dados desatualizados. A Fiesp afirma que cumpriu determinação da comissão eleitoral, entregando a lista de filiados que já é pública e está no site com os nomes dos presidentes, delegados, respectivos mandatos e contatos dos sindicatos. Quem observa de fora diz que a disputa tem traços de eleição de grêmio estudantil. Na semana passada, depois que Roriz promoveu um almoço de campanha para cem convidados, apoiadores de Josué começaram a circular a informação de que menos de 40 sindicatos compareceram. Os organizadores do evento dizem que foram 68 pessoas e que as ausências foram causadas por motivos variados, desde acidente de carro até questões de saúde.