Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.320,46
    -1.748,09 (-1,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.063,89
    +337,93 (+0,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,39
    -0,62 (-0,86%)
     
  • OURO

    1.800,40
    +2,40 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    17.209,97
    +380,93 (+2,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    405,62
    +10,93 (+2,77%)
     
  • S&P500

    3.954,48
    +20,56 (+0,52%)
     
  • DOW JONES

    33.691,38
    +93,46 (+0,28%)
     
  • FTSE

    7.472,17
    -17,02 (-0,23%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.643,00
    +133,50 (+1,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5079
    +0,0415 (+0,76%)
     

Electrolux lança coleção de roupas recicladas para alertar sobre moda consciente

Electrolux foi ao Atacama para fazer um apelo por uma moda mais consciente. Cemitério de tecidos no local chocou o mundo
Electrolux foi ao Atacama para fazer um apelo por uma moda mais consciente. Cemitério de tecidos no local chocou o mundo
  • Fotos do Atacama chocaram a sociedade por mostrar uma espécie de "cemitério" tóxico de roupas descartadas;

  • No Brasil, mais de 4 milhões de toneladas de resíduos têxteis são descartados por ano;

  • Coleção foi produzida com peças coletadas no deserto do Atacama, que foram posteriormente desenhadas, lavadas, cortadas e costuradas.

A multinacional de eletrodomésticos Electrolux foi ao Atacama para fazer um apelo por uma moda mais consciente. Fotos do deserto chileno, divulgadas em 2021, chocaram a sociedade por mostrar uma espécie de "cemitério" tóxico de roupas descartadas. As informações são do portal Exame.

De acordo com a reportagem, "cerca de 59 mil toneladas de roupas chegam a cada ano no porto de Iquique, na zona franca de Alto Hospicio, no norte do Chile. Comerciantes locais compram algumas peças para revender em toda a América Latina, mas pelo menos 39 mil toneladas acabam em lixões no deserto".

O relatório Fashion on Climate, da organização Global Fashion Agenda, produzido em parceria com a consultoria McKinsey and Company, comprovou que, em 2018, 2,1 bilhões de toneladas de gases de efeito estufa em todo o mundo foram emitidos apenas por empresas do mundo da moda. No Brasil, mais de 4 milhões de toneladas de resíduos têxteis são descartados por ano segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe).

Por conta desses índices preocupantes, a Electrolux resolveu lançar uma campanha e ainda a primeira coleção feita em parceria com a Rave Review, marca especializada em moda sustentável, produzida com peças coletadas no deserto do Atacama, que foram posteriormente desenhadas, lavadas, cortadas e costuradas.

Ana Peretti, diretora de marketing da Electrolux para América Latina, contou à Exame que o objetivo da ação é mostrar que é possível utilizar melhor – e por mais tempo – as roupas que já possuímos.

“Nosso maior objetivo com essa campanha é conscientizar as pessoas de que a roupa mais sustentável é a que já temos em casa. Este movimento está diretamente ligado a repensarmos nossos hábitos de consumo, os impactos ambientais e sociais que eles trazem, pois já não é mais novidade que as pautas de sustentabilidade e de mudanças climáticas são urgentes e, nós, enquanto empresas e indivíduos, não podemos mais esperar para agir”.