Mercado fechado
  • BOVESPA

    99.605,54
    -1.411,42 (-1,40%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.001,31
    -244,55 (-0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,85
    -0,72 (-1,82%)
     
  • OURO

    1.907,30
    -4,60 (-0,24%)
     
  • BTC-USD

    13.649,57
    +30,01 (+0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    270,08
    +8,80 (+3,37%)
     
  • S&P500

    3.390,68
    -10,29 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    27.463,19
    -222,19 (-0,80%)
     
  • FTSE

    5.728,99
    -63,02 (-1,09%)
     
  • HANG SENG

    24.787,19
    -131,59 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    23.485,80
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    11.537,00
    -51,00 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7181
    +0,0776 (+1,17%)
     

'Ele tirou o adesivo, passou nas partes íntimas e me deu um tapa', relata voluntária de ação de apoio ao Pantanal

João Conrado Kneipp
·3 minutos de leitura
Cartazes estavam no video traseiro do carro de Bianca. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/BiancaWeihs)
Cartazes estavam no video traseiro do carro de Bianca. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/BiancaWeihs)

Uma jovem de 24 anos foi humilhada e agredida após um homem arrancar um adesivo de apoio ao Pantanal de seu veículo, em Cuiabá (MT). Ela registrou um BO (Boletim de Ocorrência) na Polícia Civil e contou o relato nas redes sociais.

Bianca Weihs Borges é voluntária em um grupo de defesa dos animais, e tem participado de ações para recolhimento e entrega de frutas e verduras para animais afetados pelas queimadas no Pantanal de Mato Grosso.

“É claramente uma atitude partidária, que defende um lado. E que desmerece tudo o que o outro faz. (...) Vou continuar com as campanhas. Se a intenção dele era que eu parasse, que eu ficasse com medo, ficasse parada, não funcionou”, rebateu ela, em um vídeo postado no Instagram.

O ataque aconteceu por volta das 17h da última quinta-feira (23), no Centro da capital mato-grossense. De acordo com o registro na polícia, ela tinha saído do trabalho e entrava no próprio carro quando o homem a abordou e arrancou o adesivo.

Leia também:

No vidro traseiro do carro, Bianca tinha afixado dois pequenos cartazes com os dizeres “O Pantanal pede socorro” e trazia a imagem de uma onça-pintada em meio às queimadas. A voluntária parou o carro na esquina e então o agressor veio para cima, esfregou o papel nas partes íntimas e jogou na vítima.

Ele ainda teria dado um tapa no rosto dela enquanto a vítima fechava o vidro do veículo.

“Ele tirou o papel do meu carro, puxou as calças, a cueca, passou na bunda, jogou em mim. E me deu um tapa na cara. Não fiquei com marcas físicas. Foi um tapa leve, mas foi um tapa”, completa.

Vídeo feito pela jovem capturou o momento em que o agressor foge. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/BiancaWeihs)
Vídeo feito pela jovem capturou o momento em que o agressor foge. (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal/BiancaWeihs)

Um registro da ocorrência foi feito na Polícia Civil de Mato Grosso, mas Bianca relata que ouviu do delegado responsável pelo plantão que a investigação só irá para frente se ela conseguir imagens das câmeras de segurança do momento da agressão.

“Nas palavras do delegado: Esse BO só vai servir de alguma coisa se as imagens de segurança que eu vou atrás tiverem gravado o momento exato em que ele me dá o tapa e capte o rosto dele. Se eu conseguir identifica-lo, ainda sim precisaria do endereço dele para eu ser intimado. Eu não consigo fazer nada sem essas informações”.

QUEIMADAS NO PANTANAL

Em 15 dias, o Pantanal registrou mais da metade das queimadas ocorridas durante todo o ano de 2019. Somente nas duas primeiras semanas de setembro de 2020, o bioma teve 5.324 focos de calor, o equivalente a 53% das 10 mil queimadas registradas no Pantanal no ano passado.

Os dados contabilizados pelo Yahoo! Notícias, disponíveis no Programa Queimadas do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), levam em consideração o período do dia 1º a 15 de setembro deste ano. Dos 15 milhões de hectares do Pantanal, estima-se que quase 3 milhões - o equivalente a 19,3% - já tenham sido queimados pelo fogo.

A fauna nativa do Pantanal é uma das mais diversas do mundo, com 1.200 diferentes espécies de animais, das quais 36 estão ameaçadas de extinção.

Nas imagens que correram o mundo, onças, cobras, macacos, cobras e até jacarés aparecem mortos carbonizados ou acuados pelo desastre ambiental causado pelo fogo. Os que conseguem fugir das queimadas trazem machucados ou têm de lidar com a falta de alimento.