Mercado abrirá em 9 h 52 min
  • BOVESPA

    109.786,30
    +2.407,38 (+2,24%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.736,48
    +469,28 (+1,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,49
    +0,58 (+1,29%)
     
  • OURO

    1.808,40
    +3,80 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    19.014,82
    -53,67 (-0,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    378,36
    +8,60 (+2,33%)
     
  • S&P500

    3.635,41
    +57,82 (+1,62%)
     
  • DOW JONES

    30.046,24
    +454,97 (+1,54%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.886,12
    +297,92 (+1,12%)
     
  • NIKKEI

    26.637,81
    +472,22 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    12.164,25
    +88,25 (+0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3995
    +0,0026 (+0,04%)
     

Elétrica CEB altera data de leilão de sua distribuidora para dezembro

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Energética de Brasília (CEB) informou nesta sexta-feira que alterou o cronograma do processo de privatização da CEB Distribuição, com a entrega de propostas econômicas agora programada para o dia 1º de dezembro de 2020, e a sessão pública do leilão prevista para o dia 4 do mesmo mês.

O leilão de privatização da CEB Distribuição (CEB-D) estava previsto anteriormente para ocorrer com sessão pública em 27 de novembro. Destalhes podem ser vistos no site: http://ri.ceb.com.br/edital-leilao-2 .

Na véspera, o presidente da CPFL Energia, Gustavo Estrella, mostrou interesse pela CEB-D, em entrevista à Reuters.

Ele disse que a CPFL quer aproveitar condições financeiras favoráveis, dadas por seu baixo endividamento, para avaliar oportunidades de expansão, incluindo a privatização das elétricas CEB-D e CEEE-D, dos governos do Distrito Federal e Rio Grande do Sul.

Em outubro, os acionistas da CEB aprovaram por maioria a venda de 100% das ações na CEB-D por valor mínimo de 1,42 bilhão de reais.

O governo do Distrito Federal, controlador da empresa de energia elétrica CEB, decidiu vender a unidade de distribuição do grupo para evitar um prejuízo estimado em 1 bilhão de reais ao Estado, disse anteriormente o presidente da elétrica estatal.

(Por Roberto Samora)