Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.447,52
    +361,11 (+1,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Egito de olho em turistas do Brasil após queda de voos russos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

(Bloomberg) -- O Egito está tentando atrair mais visitantes da América Latina e da Ásia, com novos voos internacionais para um grande resort, para atenuar o impacto da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Com o conflito prejudicando as chegadas russas e ucranianas, que representavam de 30% a 40% do total, as autoridades também estão buscando acelerar o retorno de nações europeias que ficaram afastadas durante a pandemia, disse a vice-ministra de turismo do país, Ghada Shalaby, em entrevista.

“As expectativas para o turismo egípcio em 2022 não são melhores do que no ano passado”, disse ela, sem dar projeções. A receita de turismo do país norte-africano foi de US$ 5,8 bilhões no segundo semestre de 2021, acima dos US$ 1,8 bilhão do mesmo período do ano anterior, segundo dados do banco central do país na semana passada.

No longo prazo, nações latino-americanas como o Brasil representam um novo mercado para o Egito, disse ela.

A turbulência no turismo egípcio se soma às pressões econômicas da nação mais populosa do mundo árabe, que está lutando com preços mais altos de alimentos e energia por conta do conflito e recorreu ao Fundo Monetário Internacional em busca de apoio. Junto com as receitas do Canal de Suez, o setor tem sido tradicionalmente um dos principais geradores de moeda estrangeira do Egito.

Novos voos internacionais para o resort de Sharm El Sheikh, no Mar Vermelho, a partir de países do Golfo também podem dar um impulso, disse Shalaby. No domingo, a companhia aérea israelense Sun d’Or fez seu primeiro voo de Tel Aviv para a cidade na península do Sinai, no Egito.

O reinício dos voos diários Cairo-Moscou após a suspensão de várias semanas “ajudará a recuperar parte do que perdemos”, assim como os serviços limitados da Rússia para os resorts egípcios do Mar Vermelho, disse Shalaby.

Os investidores russos também podem aumentar sua atividade no setor de turismo após a promulgação de uma nova lei que permite o investimento estrangeiro no Sinai do Sul, segundo a vice-ministra.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos