Mercado fechará em 4 h 34 min
  • BOVESPA

    129.024,56
    +596,59 (+0,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.364,82
    +194,04 (+0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,31
    +0,23 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.780,30
    -3,10 (-0,17%)
     
  • BTC-USD

    34.442,12
    +342,63 (+1,00%)
     
  • CMC Crypto 200

    830,27
    +43,65 (+5,55%)
     
  • S&P500

    4.264,80
    +22,96 (+0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.103,91
    +229,67 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.108,73
    +34,67 (+0,49%)
     
  • HANG SENG

    28.882,46
    +65,39 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.875,23
    +0,34 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.393,50
    +130,50 (+0,91%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8700
    -0,0585 (-0,99%)
     

Egito abre sua fronteira com Gaza para receber palestinos feridos

·2 minuto de leitura
Um bombeiro palestino fala a colegas após um ataque israelense na cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, em 15 de maio de 2021

O Egito abriu, neste sábado (15), sua fronteira terrestre com a Faixa de Gaza e enviou dez ambulâncias ao enclave palestino para evacuar e tratar os palestinos feridos nos bombardeios israelenses, informou à AFP uma fonte médica egípcia.

Cairo "abriu excepcionalmente a passagem (de Rafah) para (permitir) a entrada de dez ambulâncias egípcias na Faixa de Gaza, a fim de transportar palestinos feridos (com vistas a) tratá-los no Egito", explicou esta fonte, que pediu para permanecer anônima.

A passagem de Rafah é a única abertura da Faixa de Gaza para o mundo que não é controlada por Israel. O Estado hebreu impõe um bloqueio ao enclave palestino há mais de uma década.

Um responsável egípcio da segurança na fronteira disse que esta decisão é "excepcional" porque a passagem geralmente permanece fechada em dias feriados, incluindo durante o feriado muçulmano do Eid al-Fitr, que começou na quarta-feira e que marca o fim do mês do Ramadã.

A autoridade pública de saúde egípcia havia anunciado na sexta-feira que três centros médicos "começaram a se preparar" para receber feridos de Gaza.

De acordo com o último balanço fornecido pelas autoridades palestinas, 139 pessoas morreram, incluindo 39 crianças, e quase 1.000 ficaram feridas nos ataques aéreos e bombardeios israelenses na Faixa de Gaza desde segunda-feira. O Estado hebreu, por sua vez, registrou nove mortos, incluindo uma criança e um membro do Exército.

Israel lançou esses ataques punitivos em respostas a centenas de foguetes do Hamas, o movimento islâmico que controla a Faixa de Gaza, disparados depois que a polícia israelense feriu centenas de palestinos na Esplanada das Mesquitas em Jerusalém Oriental, área da cidade ocupada ilegalmente por Israel desde 1967.

Esses confrontos seguiram-se a dias de confrontos na Cidade Santa, principalmente em razão das ameaças de expulsão de palestinos de suas casas em Jerusalém Oriental em benefício de colonos judeus.

Representando a maior minoria cristã no Oriente Médio, a Igreja Copta Ortodoxa pediu neste sábado que "todas as partes" negociem "para evitar um banho de sangue".

Na sexta-feira, Ahmed al-Tayeb, o grande imã de Al-Azhar, uma instituição respeitada do Islã sunita, lançou uma campanha em apoio aos palestinos.

"Conclamo os povos do mundo e seus líderes a apoiarem o povo palestino pacífico e oprimido em sua causa legítima e justa para recuperar seus direitos, suas terras e lugares sagrados", escreveu o xeque nas redes sociais.

str-bam/hha/awa/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos