Mercado abrirá em 8 h 43 min
  • BOVESPA

    100.774,57
    -1.140,88 (-1,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.007,16
    +308,44 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,15
    +0,58 (+0,88%)
     
  • OURO

    1.782,00
    -2,30 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    56.170,57
    -1.078,22 (-1,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.426,44
    -42,64 (-2,90%)
     
  • S&P500

    4.513,04
    -53,96 (-1,18%)
     
  • DOW JONES

    34.022,04
    -461,68 (-1,34%)
     
  • FTSE

    7.168,68
    +109,23 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    23.740,57
    +81,65 (+0,35%)
     
  • NIKKEI

    27.750,67
    -184,95 (-0,66%)
     
  • NASDAQ

    15.971,25
    +101,50 (+0,64%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4186
    -0,0282 (-0,44%)
     

Eficácia da CoronaVac é de 85% na prevenção de casos graves da covid em grávidas

·2 min de leitura

Um estudo conduzido por cientistas brasileiros e britânicos traz uma boa notícia para as grávidas: a vacina CoronaVac fornece uma boa proteção contra casos graves da covid-19. A pesquisa foi feita com dados de gestantes do Brasil e conseguiu estimar que a eficácia da vacina contra o coronavírus SARS-CoV-2 é de 85% para formas graves da doença.

Publicado na plataforma SSRN, vinculada à revista The Lancet, o preprint — artigo científico ainda não revisado por pares — concluiu que a eficácia do esquema completo de vacinação (duas doses) da CoronaVac evitou 85% dos casos graves da covid-19. Além disso, a eficácia foi de 75% na prevenção da progressão dos casos sintomáticos para a forma grave da doença.

Em grávidas, a eficácia da vacina CoronaVac chega a 85% contra casos graves da covid-19 (Imagem: Reprodução/ RossHelen/Envato Elements)
Em grávidas, a eficácia da vacina CoronaVac chega a 85% contra casos graves da covid-19 (Imagem: Reprodução/ RossHelen/Envato Elements)

Durante o estudo, nenhum óbito foi relatado entre as gestantes parcial ou totalmente imunizadas com a vacina CoronaVac. Por outro lado, quatro óbitos seriam esperados em decorrência da infecção, se a mortalidade fosse a mesma do público não vacinado.

Vale lembrar que, em março deste ano, mulheres grávidas com comorbidades e em ocupações consideradas de alto risco se tornaram elegíveis para receber vacinas contra a covid-19 no Brasil. Em abril, a recomendação da imunização foi expandida para incluir todas as gestantes, independente de alguma doença prévia.

Estudo da CoronaVac em grávidas

O estudo partiu de um banco público de dados nacional de gestantes — com idades entre 18 e 49 anos — e que apresentaram sintomas da covid-19. Estas mulheres realizaram um exame do tipo RT-PCR, entre os dias 13 de março e de 3 de outubro de 2021. Além disso, os detalhes dos casos foram registradas no Sistema de Notificação do Ministério da Saúde (e-SUS Notifica).

Ao final da triagem, foram selecionados os dados de 19.838 gestantes, sendo que 7.424 (37,4%) haviam testado positivo para a covid-19, e 588 (7,9%) desenvolveram a forma grave da doença. No momento da extração dos dados, 83% das gestantes haviam recebido as duas doses da vacina, enquanto 17% haviam recebido apenas uma.

“Um regime completo de CoronaVac em gestantes foi eficaz na prevenção dos casos sintomáticos da covid-19 e altamente eficaz na prevenção da forma grave da doença”, afirmaram os pesquisadores, no artigo que aguarda revisão.

O estudo contou com a participação de pesquisadores dos seguintes centros de pesquisa: London School of Hygiene and Tropical Medicine, Universidade Federal da Bahia (UFB), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Universidade de Brasília (UnB) e Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Para acessar a pesquisa completa, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos