Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.964,15
    -37,21 (-0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Efeito Musk: Twitter demite 150 funcionários da equipe no Brasil

Funcionários do Twitter foram demitidos nesta sexta-feira (Getty Image)
Funcionários do Twitter foram demitidos nesta sexta-feira (Getty Image)
  • Twitter anunciou nesta sexta-feira as demissões na subsidiária brasileira;

  • Funcionários tiveram os computadores de trabalho bloqueados e receberam um e-mail;

  • Empresa tem realizado uma série de mudanças desde que foi comprada por Elon Musk.

Parte dos 150 funcionários da subsidiária brasileira do Twitter tiveram os computadores de trabalho bloqueados e receberam um e-mail informando que não eram mais necessários na madrugada desta sexta-feira.

De acordo com uma apuração do Valor Econômico, não houve uma comunicação oficial de demissão por e-mail. A companhia informou apenas que aguardem por futuras instruções.

Nesta semana a empresa, que foi comprada por Elon Musk, sinalizou aos funcionários de que uma parte da equipe seria demitida. Na ocasião, a corporação alegou que os funcionários saberiam se ficariam, ou não, na empresa, se recebessem uma mensagem em contas de e-mail pessoais.

Os cortes na subsidiária afetam todas as áreas da empresa, exceto o time de vendas. Nas redes sociais, funcionários divulgaram a mensagem receberam da empresa.

Assim que comprou a rede social, o primeiro ato de Musk foi demitir a maior parte dos executivos do alto escalão da companhia, incluindo o presidente executivo Parag Agrawal.

Na semana que vem, a corporação deve sair da Bolsa norte-americana, se tornando uma companhia privada cujo o único responsável por todas as decisões será Elon Musk.

De acordo com o Washington Post, a empresa vai despedir metade dos cerca de 7.500 empregados que atuam na corporação ao redor do mundo.

"Reconhecemos que algumas pessoas que fizeram contribuições significativas para o Twitter serão afetadas, mas essa ação infelizmente é necessária para garantir o sucesso da empresa no futuro", informou a empresa.